quarta-feira, 17 de outubro de 2012

"O LIVRO IMPRESSO VAI ACABAR"


“A televisão de tubo catódico já era uma invenção consolidada. A fita de VHS também. O gládio romano era incrível. Mas nada disso existe mais. Tudo acabou substituído por coisas mais eficientes. Não vai existir razão para preferir o papel que não seja o fetiche. E é natural que alguém que tenha vivido sete décadas amando livros de papel vá morrer amando livros de papel.”
Por Luis Alberto Prado

Quem afirma é Alexandre Versignassi, editor da revista Superinteressante desde 2006 e especialista em jornalismo científico, sobre a polêmica trazida à cena com o lançamento do livro do semiólogo, ensaísta e escritor italiano Umberto Eco Não contem com o fim do livro, que discute a perenidade da obra em papel, ao defender que o livro já é uma invenção consolidada e nem mesmo as revoluções tecnológicas o detiveram.
De acordo com Versignassi, o livro de papel está com os dias contados. “Porque as vantagens dos eletrônicos sobre eles são tão grandes quanto as de um avião em relação ao cavalo: eles serão absurdamente mais portáteis e fáceis de ler”.
Quais seriam, então, as diferenças básicas entre um e outro? O jornalista se apressa em responder: “O eletrônico permite que você carregue todos os seus livros numa só mídia. Se a legibilidade for equivalente à do papel (e a do Kindle chega perto), não há por que ler os de papel”.
Para esquentar mais a polêmica, Alexandre Versignassi também acredita no fim das revistas e jornais de papel. Para o jornalista, as mídias impressas não duram mais do que uma década. “Estamos a um passo do livro eletrônico perfeito. O que o iPad tem de ruim, o Kindle tem de bom. E vice-versa. Agora é juntar os pontos positivos dos dois num produto só.    E, quando isso acontecer, o livro impresso acaba”.
Para ele, ler um livro inteiro na tela de computador é insuportável. “A melhor tecnologia para uma leitura profunda e demorada continua sendo tinta preta em papel branco. Até aparecer uma maneira melhor”, diz o jornalista.
Há três anos surgiu o Kindle, primeiro leitor de livros eletrônicos realmente viável. Através deste produto, pode-se baixar pela rede 3G qualquer livro de um catálogo de 20 mil títulos (a maioria em língua inglesa). Ele comporta até 1.500 títulos e pesa apenas 400 gramas. Tem tela monocromática de seis polegadas, feita de tinta (preta com letras brancas) e não emite luz. Ao contrário de um livro comum, as páginas não são sensíveis ao toque.



Outro produto que já está no mercado, desde janeiro, é o iPad, da Apple. Segundo Alexandre Versignassi, com uma proposta ambiciosa: aposentar o Kindle e virar o iPod (tocadores de áudio digital ) dos livros eletrônicos. Tela grande e colorida, as páginas viram com um toque dos dedos, sem botão. Mas, o iPad tem uma falha de nascença: a tela é de LCD (cristal líquido)*.
Dezenas de empresas estão trabalhando justamente para unir o que ambos têm de positivo. A Philips desenvolve o Liquavista, com tela colorida. Por sua vez, a Pixel Qi está fazendo um livro eletrônico com um LCD sensível ao toque, porém, sem emitir luz, entre outras vantagens.
O editor da revista Superinteressante acredita que uma hora o livro eletrônico ideal chega. “E, quando isto acontecer, sua estante de livros vai virar algo tão anacrônico quanto aquela caixa de sapato cheia de fitas cassete”.
* Nos monitores normais, se você olhar a imagem de qualquer ângulo, conseguirá vê-la perfeitamente. Já através do cristal líquido, só terá a visão do ângulo 90º, 45º para a esquerda ou 45º para a direita. Se forçar mais, verá a imagem totalmente com as cores destorcidas.

Internet e leitura, os livros vão acabar?


Esta questão foi recentemente discutida por dois dos mais importantes pensadores que se dedicam ao tema: o francês Roger Chartier e o italiano Umberto Eco.Chartier esteve em outubro no Brasil para lançar o livro História da leitura no mundo Ocidental (Editora Ática, 2 volumes, R$ 27,20 cada), organizado em conjunto com Gugliemo Cavallo. Eco, que esteve recentemente na Argentina, é autor, entre outros, dos livros A obra aberta e O nome da Rosa.
Veja abaixo o que eles disseram sobre o assunto.
Roger Chartier: "Existe uma coisa que está ficando cada mais vez mais clara a respeito do computador: ele não representa a morte do livro. A tela é apenas uma espécie de novo suporte para os textos, assim como o foram os códices [o livro montado em cadernos]. Por isso eu a considero uma nova revolução. O que está sendo distribuído pelas redes eletrônicas são textos. Nunca o livro e a leitura estiveram tão vivos. Há apenas uma transformação frente aos meios clássicos de transmissão de textos. Enfim, a forma de leitura está mudando mais uma vez. E a revolução é profunda.
[...] Estamos dando um verdadeiro salto. Tivemos a tábua, o rolo, o códice, que durou séculos, e agora as telas. O sonho da biblioteca universal está perto de ser concretizado. Todos os textos escritos podem ser digitalizados. Não existe uma razão teórica que impeça essa biblioteca universal. E enquanto isso não acontece, temos bancos de dados eletrônicos, fragmentos, porções do conhecimento. Além disso, outro aspecto totalmente novo é a possibilidade de o leitor entrar dentro da escritura. Nem no rolo nem no códice o leitor podia participar do texto de um autor, no máximo ele podia escrever nas margens de uma folha. Agora ele pode se inserir na escritura, interagir, imprimir. Pode copiar um texto, fazer um novo texto, tirar dele um fragmento. É uma escritura em colaboração. E pode ter sua própria página. Por isso, estão discutindo novamente a questão dos direitos autorais. É preciso redefinir as regras.
[...] O que há é uma nova modalidade de apropriação do texto. Se antes o leitor era escravo e criador, agora esta escravidão está acabando por completo. A tela o libera. O leitor é um produtor. A imperfeição é que existem empresas multinacionais controlando a difusão dos textos. A liberdade textual é mais ampla, mas há monopólios, poderes.
[...] Temos essa tensão da liberação do texto e do leitor versus os monopólios. E temos a tensão da possibilidade de criação de um novo tipo de analfabetismo. É um desafio para todas as sociedades evitar essa perversão: o novo analfabeto, sem acesso aos meios eletrônicos e ao intercâmbio universal."
Entrevista a Cecilia Costa, do jornal O Globo, publicada no suplemento "Verso&Prosa" de 26/10/98
Umberto Eco: "Os livros são como o martelo e a colher: depois de criados, não houve mais forma de melhorá-los. O mesmo ocorre com o espremedor de limão. Os objetos de leitura formam parte desses maravilhosos utensílios que a humanidade inventou e ainda nos vão acompanhar por muito tempo, para sempre. Foi dessa forma, com fina ironia, que o escritor e semiólogo italiano Umberto Eco falou em Buenos Aires, na quinta-feira, sobre o futuro do livro no próximo milênio. Eco defendeu a existência dos livros e afirmou que não há perigos suficientes para ameaçar a permanência deles no próximo século."
Umberto Eco faz ode à palavra impressa. O Estado de S. Paulo, 2 nov. 1998, p. D3.
Ainda Eco: "Eco explicou com clareza e exemplos cômicos o que pensa sobre o tal ‘fim do livro’. Para ele, os ‘livros de leitura’, aqueles que pegamos e lemos do início ao fim, vão permanecer para sempre, porque ‘ainda não inventaram nada melhor’. Já os ‘livros de consulta’ serão substituídos pelos hipertextos, mais eficientes, econômicos e – fundamental – menos espaçosos. Então, ‘longa vida ao livro no próximo milênio’, disse entusiasmado Umberto Eco no encerramento da aula."
Eco nega o fim do livro. Folha de S. Paulo, 31 out. 1998, p. 4-3.






1-Quais as vantagens do livro digital? Justifique.
2- Quais as vantagens do livro de papel? Justifique.
3- Quais as desvantagens do livro digital e do livro de papel? Justifique.
5- Você se sente fazendo parte do mundo digital? De que forma o  mundo digital lhe ajuda do ponto de vista intelectual?  Justifique.
6- Você só consome tecnologia ou usa a tecnologia para produzir algo pessoal, crítico que possa ajudar as pessoas ao seu redor? Justifique.

19 comentários:

  1. Brenda Rabelo 2°ano E.M20 de outubro de 2012 22:55

    O livro digital possui diversas vantagens em relação aos livros comuns,a começar pela preservação da naturaza,já que para se fazer livros é necessário o desmatamento de árvores.
    O outro fator bem interessante dessa nova tecnologia é a facilidadeem poder transportar diversos livros em um só aparelho portátil,ao invés de ter que carregar os mesmos.
    Essa mudança trás consigo muitas facilidades para quem usufruir dessa nova proposta,pois estará se livrando de acúmu-los desnecessários de papeis,morfos,traças,poeiras e tudo de ruim que as folhas de papeis trazem consigo.
    Mas como tuda na vida os livros digitais também tem seus problemas mas já está sendo feito projetos e pesquisas para achar uma soluçao em breve.

    ResponderExcluir
  2. Fernanda Freitas Sousa - 1º ano do Ensino Médio - Colégio Seráfico21 de outubro de 2012 18:31

    O livro digital possui várias vantagens, uma delas é o peso pois fica muito mais leve carregar vários livros em um só, a preservação da natureza, fora o acúmu-lo de papel dos quais gera poeira, traças, morfos e muitos outros fatores.
    Já o livro de papel tem uma vantagem que supera todas as do livro digital, que é a de ter mais interesse pelos estudos pois não há com que tire sua atenção, foca-se mais nos estudos; diferente do livro digital pois tem mais funções das quais chama sua atenção

    ResponderExcluir
  3. Sara Lima - 2º Ano E.M21 de outubro de 2012 18:46

    Repostas do questionário:

    1. Uma das vantagens do livro digital é a praticidade que os mesmos oferecem, evitando o acúmulo de peso, além de problemas recorrentes do papel, como traças e cupins.
    2. A questão da visão, pois o livro digital causa muitos danos nos olhos, os livros de papel não tem esse problema. Um livro de papel, cuidando direito e preservando-o de forma adequada, pode-se tê-lo durante anos, diferentemente de um digital onde em um problema qualquer no aparelho, pode-se perder todos os livros ali contidos.
    3. Desvantagens - Livro de papel: Acúmulo de espaço, lugar ideal para juntar traças e cupins, poluição, quando não ocorre o reciclamento dos livros.
    Desvantagens - Livro Digital: Prejudica a visão, é mais fácil de perder, ou roubarem.
    5. Sim, com o computador que é uma ótima fonte de pesquisa, onde se tem informações de todo o mundo, como em bibliotecas digitais.
    6. Uso a tecnologia como uma fonte de pesquisas e informações, passando-as quando tenho a oportunidade.

    ResponderExcluir
  4. Gessica Kathelen 2°ano EM

    1-O livro digital é portátil, pode estar em um tablet em um celular e pode conter vários em um mesmo aparelho ; não polui o meio ambiente, pois diferente do livro impresso que é preciso o corte de arvores; etc.
    2-Diferente do livro digital, não provoca problemas de vista na leitura,pode ser conservado se for guardado adequadamente por muito tempo, etc.
    3-LD-> pode ocorrer um problema e você perder os livros que estão salvos em um aparelho se tiver algum defeito, algumas pessoas não conseguem passar muito tempo lendo por causa da alta luminosidade das telas,etc.
    LP-> tem um alto prejuízo ao meio ambiente,podem ocupar muito espaço se estiverem em grande quantidade, etc.
    5-Sim. Pesquisas para atividades e trabalhos do colégio, em sites como Google e Wikipédia, que são verdadeiras enciclopédias online.
    6-Acho que um pouco dos dois. Uso muito a internet como fonte de pesquisas e uso as redes sócias, as vezes para falar sobre minha vida pessoal, outras para expor minha visão critica ou não sobre certos assuntos.

    ResponderExcluir
  5. Antoniel barbosa 1° ano21 de outubro de 2012 21:35

    o livro digital possui varias vatagens em comparaçao ao livro comum,uma delas é a questao ecologica pois com livros digitais n a necessidade de derrubada de arvores,e outro e a questao da facilidade de transporte.
    o livro de papel tem algumas vantagens uma delas e questao de aprendizado pois no meu ponto de vista um velho livro de papel se tem a maior facilidade de aprender,nao q um livro digital n seja capaz de ter um bom conhecimento e sim na questao de tirar atençao nao o livro em si mais o aparelho,pela facilidade de acesso a outras coisas.

    ResponderExcluir
  6. Jefferson Nogueira 1ano22 de outubro de 2012 10:04

    O livro digital possui mais vantagem do que o livro de papel.O livro digital é mais ecologico,e a facilidade de transporte.
    O livro de papel,a vantagem de pesquisar.
    Prefiro qualquer um,eu aprendedo é o que vale.

    ResponderExcluir
  7. Matheus Vinicius 1 Ano22 de outubro de 2012 10:06

    O livro digital possui mais vantagem do que o livro de papel.O livro digital é mais ecologico,e a facilidade de transporte. E outra é bem melhor ser digital,fica bem melhor de aprender,então assim é bem mais importante.

    ResponderExcluir
  8. o livro digital possui varias vatagens em comparaçao ao livro comum,uma delas é a questao ecologica pois com livros digitais n a necessidade de derrubada de arvores,e outro e a questao da facilidade de transporte.

    ResponderExcluir
  9. 1- Facilidade de atualização( a versão nova do livro substitui a anterior automaticamente), contribui de forma significativa para a preservação das árvores, uma vez que não é necessária sua impressão.
    2- Serve para a as pessoas que tem dificuldades em utilizar aparelhos tecnológicos, principalmente os que tem problemas de vista. Podem ser conservados.
    3- desvantagem do livro impresso: ajuda na retirada de arvores, contribuindo significativamente para o aquecimento global.
    desvantagem do livro digital: prejudica a vista de quem precisa ler de perto, por causa da luminosidade do aparelho.
    5- Me sinto bem, afinal posso relacionar ideias e formar a minha própria, desenvolvendo cada vez mais meu aprendizado e intelecto. Usar os sites de pesquisas, as bibliotecas online, e usar até as redes sociais como forma de interação de aprendizado.
    6- Uso de forma que eu possa aprender algo a mais compartilhando conhecimento com outros, uso as redes sociais para ambos os casos.


    ResponderExcluir
  10. Jean Pereira Anzolin 1º ano ensino medio23 de outubro de 2012 18:13



    1-Quais as vantagens do livro digital? Justifique.

    Pode-se caregar vários livros em apenas um aparelho leve e economico.

    2- Quais as vantagens do livro de papel? Justifique.

    Ele não gasta energia.

    3- Quais as desvantagens do livro digital e do livro de papel?
    Justifique.

    o livro digital gasta energia e é prejudicial aos olhos em má utilização. E o livro de papel gasta-se arvores que são essenciais para a nossa respiração.

    5- Você se sente fazendo parte do mundo digital? De que forma o mundo digital lhe ajuda do ponto de vista intelectual? Justifique.

    sim. Tenho acesso a muitas fontes de pesquisas sem sair do lugar e muito facil e rapido.

    6- Você só consome tecnologia ou usa a tecnologia para produzir algo pessoal, crítico que possa ajudar as pessoas ao seu redor? Justifique.

    eu tanto consumo quanto produzo, quando estou lendo artigos ou noticias estou consumindo, quando critico e faço textos na internet estou produzindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jean Pereira Anzolin 1º ano ensino medio23 de outubro de 2012 18:18

      correção
      5º questao
      bem, como consumidor de informações .Tenho acesso a muitas fontes de pesquisas sem sair do lugar e muito facil e rapido.

      Excluir
  11. Amanda Monteiro 1 Ano- médio24 de outubro de 2012 19:50

    Os livros digitais ocupam apenas armazenamento online, não demandam o corte de árvores, transporte e etc.E os livros digitais são baratos em relação aos de papel.


    ResponderExcluir
  12. Os livros digitais ocupariam muito menos peso do que o livro de papel , pode-se ter vários livros em apenas um aparelho. E os livros digitais também são mais econômicos que os livros de papel. A vantagem do livro de papel é que ele não gasta obviamente energia' Na minha opinião o livro de papel é insubstituível , o livro digital seria apenas um complemento para algumas atividades.

    ResponderExcluir
  13. Amanda Monteiro 1 Ano- médio12 de novembro de 2012 16:20





    Balaiada

    A Balaiada aconteceu entre 1838 e 1841 foi uma rebelião da massa maranhense desprotegida, composta por escravos, camponeses e vaqueiros.
    Esses grupos sociais, que formavam a grande maioria da população pobre da província, encontravam, naquele momento, sérias dificuldades de sobrevivência devido à grave crise econômica e aos latifúndios improdutivos.
    A crise econômica havia sido causada pela queda da produção do algodão - base da economia da província - que sofria a concorrência norte-americana.
    Assim como havia ocorrido com os cabanos do Grão-Pará, essa massa de negros e sertanejos, cansada de ser usada pela classe dominante, terminou se envolvendo numa luta contra a escravidão, a fome, a marginalização e os abusos das autoridades e militares.
    Os líderes do movimento foram o vaqueiro Raimundo Gomes, o fabricante de Balaios (daí o nome Balaiada) Manuel Francisco dos Anjos Ferreira e o negro Cosme, chefe de um quilombo e que organizou quase três mil negros sob sua liderança.
    Os rebeldes chegaram a conquistar Caxias, a segunda cidade mais importante do Maranhão. Porém, a desorganização e a falta de união dos líderes, as divergências entre os líderes e a divisão desordenada dos grupos , onde cada chefe agia isoladamente, facilitaram a vitória das forças militares comandadas pelo coronel Luís Alves de Lima e Silva, enviadas pelo governo para reprimir o movimento.
    A revolução durou 3 anos e terminou quando o imperador sedeu a anistia para os revoltosos sobreviventes.


    ResponderExcluir
  14. Amanda Monteiro 1 Ano- médio12 de novembro de 2012 16:24

    Cabanagem
    A Cabanagem foi uma grande revolta popular que explodiu na província do Pará, em 1835. Dela participou uma multidão de pessoas muito pobres, submetidas à exploração dos poderosos da região. Eram negros, índios e mestiços que trabalhavam na exploração de produtos de floresta e moravam em cabanas à beira dos rios. Por isso, eram chamados de cabanos e a rebelião ficou conhecida como Cabanagem.
    Os cabanos queriam sair da situação de miséria em que viviam. Para isso, tinham que lutar contra os responsáveis pela exploração social e pelas injustiças. Os cabanos queriam acabar com a escravidão, distribuir terras para o povo e matar os exploradores.
    Um dos chefes da Cabanagem foi o padre Batista Campos. A cabanagem teve muitos outros líderes populares, conhecidos por apelidos curiosos como o João do Mato, Domingos Onça, Mãe da Chuva, Gigante do Fumo.
    Em janeiro de 1835, tropas de cabanos conquistaram a cidade de Belém (capital da província) e mataram várias autoridades do governo, entre elas o presidente da província.
    Os cabanos tomaram o poder, mas tiveram grande dificuldade em governar. Pois Faltava-lhe organização, havia muita briga entre os líderes do movimento e a rebelião foi traída várias vezes. A liquidação completa dos cabanos só ocorreu em 1840, depois de muito sangue derramado.

    ResponderExcluir
  15. Amanda Monteiro 1 Ano- médio12 de novembro de 2012 16:25

    Sabinada
    Revolta popular ocorrida entre 1837 e 1838, pretendeu uma proclamação provisória da república baiense até a maioridade de D. Pedro II.
    Revolta empreendida por fazendeiros, militares e integrantes de uma classe intermediária teve como líder o médico Francisco Sabino.
    Após alguns enfrentamentos e aproximadamente 2.000 mortos os objetivos não se concretizaram.

    ResponderExcluir
  16. Amanda Monteiro 1 Ano- médio12 de novembro de 2012 16:28

    Farroupilha

    Revolução Farroupilha noms pelo qual ficou conhecida a revolução ou guerra regional, de caráter republicano, contra o governo imperial do Brasil, na então província de São Pedro do Rio Grande do Sul, e que resultou na declaração de independência da província como estado republicano, dando origem à República Rio-Grandense. Estendeu-se de 20 de setembro de 1835 a 1 de março de 1845.
    A revolução, de caráter separatista, influenciou movimentos que ocorreram em outras províncias brasileiras: irradiando influência para a Revolução Liberal que viria a ocorrer em São Paulo em 1842 e para a Revolta denominada Sabinada na Bahia em 1837, ambas de ideologia do Partido Liberal da época. Inspirou-se na recém-finda guerra de independência do Uruguai, mantendo conexões com a nova república do Rio da Prata, além de províncias independentes argentinas, como Corrientes e Santa Fé. Chegou a expandir-se à costa brasileira, em Laguna, com a proclamação da República Juliana e ao planalto catarinense de Lages. Teve como líderes: general Bento Gonçalves, general Neto, coronel Onofre Pires, coronel Lucas de Oliveira, deputado Vicente da Fontoura, Pedro Boticário, general Davi Canabarro, coronel Corte Real, coronel Teixeira Nunes, coronel Domingos de Almeida, major Vicente Ferrer de Almeida, coronel Domingos Crescêncio de Carvalho, general José Mariano de Mattos, general Gomes Jardim, além de receber inspiração ideológica de italianos da Carbonária refugiados, como o cientista e tenente Tito Lívio Zambeccari e o jornalista Luigi Rossetti, além do capitão Giuseppe Garibaldi, que embora não pertencesse a carbonária, esteve envolvido em movimentos republicanos na Itália. A questão da abolição da escravatura também esteve envolvida, organizando-se exércitos contando com homens negros que aspiravam à liberdade.

    ResponderExcluir
  17. Gabriela Marques 1º ano EM -

    1-Com livro digital podemos abrir novas informações,com mais rapidez,sem precisar se deslocar a algum lugar para procurar por um livro de uma outra região.

    2-Livro de papel acho para um leitor mais antigo,ele causa mais emoção ao ter em posse,também um livro antigo pode conter muitas histórias de como aquela pessoa teve,ou quem a deu,podendo passar de pai para filho e também por que no papel você não vai perder uma história com um vírus de internet.

    3-Livro digital pode ocorrer erros com aparelho ,pode obter vírus ao baixar o arquivo do livro do qual a pessoa quer.Com livro de papel é mais de você rasgar,sujar,ele se desgasta muito com tempo se você não tiver o cuidado com ele.

    4-Sim.Com mundo digital posso falar com pessoas de outras regiões,posso ter um estudo melhor porque na internet a mais informações rápidas,eu tenho um mundo de informações em um único clique o que me ajuda na escola ao fazer os deveres e me deixa mais preparada para uma aula.

    5-Não eu uso para ajudar as pessoas,acho que pessoas deveriam criar um Tumblr,lá podemos escrever sobre qualquer coisas,mandar quaisquer fotos.Tumblr é uma rede social que os adolescentes buscam achar o que eles tão sentindo em si,o que há neles,suas pertubações e alegrias.Pode ser uma forma dos psicólogos conseguirem mais informações pelo jeito como o jovem age.Por isso eu crio um tumblr pra expressar tudo o que eu sinto.


    Pesquisar sobre revoltas da canbagem,sabinada e balaiada


    A Cabanagem (1835-40) - A revolta recebeu esse nome por causa da vida miserável dos paraenses, que moravam em cabanas. Os cabanos uniram-se aos fazendeiros e realizaram uma das revoltas mais sangrentas do país.

    Os revoltosos tomaram Belém e instalaram um novo governo, sob o comando de Felix Malcher, que traiu o movimento fazendo acordos com o governo geral. Felix foi assassinado pelos revoltosos e substituído por Pedro Vinagre, que também traiu. O último líder da revolta foi Eduardo Angelin. Mas, já era tarde, pois as tropas imperiais receberam o apoio de tropas mercenárias estrangeiras.

    A partir de então, os revoltosos terríveis reveses. Os cabanos foram obrigados a deixar Belém e se refugiar no interior. A guerra continuou, mas os cabanos não resistiram aos ataques e perseguição dos mercenários. Cerca de 40000 pessoas foram mortas das maneiras mais sangrentas. Apesar de conseguirem resistir durante um bom tempo, os revoltosos foram obrigados a se render em 1846, sem conseguir nada do que pediam.

    A Sabinada (1837-38) - Aconteceram várias revoltas na Bahia durante o período regencial. A principal foi à liderada pelo médico Francisco Sabino Álvares da Rocha Vieira, daí o nome Sabinada.

    A Sabinada não foi um movimento popular como a cabanagem; foi uma revolta patrocinada por militares que lutavam por melhores salários, com o apoio da classe média.

    Os revoltosos tomaram o governo e proclamaram a Republica Baiana, que deveria durar até que D. Pedro II assumisse o trono. O governo agiu rápido e suas forças militares mais uma vez usaram de extrema crueldade: incendiaram as casas dos rebeldes e muitos deles foram queimados vivos. Mais de 3000 pessoas foram mortas.

    A Balaiada (1838-41).As condições econômicas do Maranhão também eram as piores possíveis, tanto para a grande massa de escravos como para os pequenos fazendeiros, vaqueiros e fazedores de balaio. Esses grupos se uniram, liderados por Manuel Balaio. Cerca de 3000 escravos também participaram do movimento.

    A principal vitória obtida pelos balaios foi à tomada da vila de Caxias. O governo central percebendo a gravidade da situação, resolveu substituir o presidente da província e nomeou o cel. Luís Alves de Lima e Silva, conhecido mais adiante como Duque de Caxias. Em 1840 prometeu-se a anistia a todos revoltosos que se entregassem; 2500 balaios se renderam rapidamente. Mas nem todos se entregaram, e resistiram até continuar, se renderam, encerrando assim a revolta.

    ResponderExcluir
  18. 01- Quais as vantagens do livro digital? Justifique.
    podemos caregar vários livros em apenas um só obejeto facilitando o manusei é tambem as pesquisas feita pelo professor .
    02- Quais as vantagens do livro de papel? Justifique.
    Ele não gasta energia é tambem não da defeito nem um .
    03- Quais as desvantagens do livro digital e do livro de papel?
    Justifique.
    o livro digital gasta energia e é prejudicial aos olhos é tambem da defeito com peças caras. E o livro de papel gasta-se arvores que são essenciais para a nossa respiração.
    05- Você se sente fazendo parte do mundo digital? De que forma o mundo digital lhe ajuda do ponto de vista intelectual? Justifique.
    sim com certeza. Bem como consumidor de informações .Tenho acesso a muitas fontes de pesquisas sem sair do lugar e muito facil e rapido.
    06 - Você só consome tecnologia ou usa a tecnologia para produzir algo pessoal, crítico que possa ajudar as pessoas ao seu redor? Justifique.
    eu tanto consumo quanto produzo, quando estou lendo artigos ou noticias estou consumindo, quando critico e faço textos na internet estou produzindo etc...
    (CÈLIO FILHO 1° ANO E.M)

    ResponderExcluir