domingo, 7 de outubro de 2012

REDEMOCRATIZAÇÃO DO BRASIL







Redemocratização do Brasil foram dois processos de transição política que acabaram com regimes ditatoriais. A primeira redemocratização ocorreu em 1945, com o fim do Estado Novo (1937-45), golpe militar implementado pelo governo de Getúlio Vargas. A segunda transição aconteceu em 1985, com o fim do Regime Militar (1964-85).
Estado Novo
Com a disseminação global do comunismo, governos de direita temiam a aproximação de suas matizes ideológicas ao público. Como presidente, Getúlio Vargas fez o que pôde para solapar o alastramento dos ideais de esquerda, para evitar que ocorressem greves e paralisações trabalhistas.
Em 1937, a ala direita da base governista convenceu Vargas de que o Brasil estava ameaçado a sofrer uma conspiração de esquerda. A articulação dos direitistas ficou conhecida como Plano Cohen. Assim, Vargas decidiu manter o controle da nação com a ditadura do Estado Novo.
Seguindo a corrente fascista e autoritária de líderes como Mussolini e Hitler, Vargas impediu a realização de eleições diretas e controlou ostensivamente os poderes Legislativo, Executivo e até mesmo o Judiciário.
O fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945, dava claros sinais de que o Estado Novo estava em desgaste, principalmente com a derrota dos fascistas. Prevendo isso, ele tentou legitimar seu golpe utilizando o artifício do populismo com as massas urbanas, mas acabou sendo derrubado pela mesma elite que o colocou no poder. Com o fim do Estado Novo,o Brasil teve seu primeiro processo de transição democrática.

Ditadura Militar


Apesar de ter durado mais de duas décadas, a Ditadura já estava em desgaste havia muito tempo. A sociedade reivindicava as liberdades individuais restringidas e exigia que os presos políticos fossem soltos mas, mesmo com toda essa pressão, naquele momento o país não mostrava sinais claros de retornar à democracia.
Depois dos anos de chumbo do governo Médici, Ernesto Geisel assumiu a presidência em 1974 e trouxe uma esperança de retorno à democracia com a abertura política ‘lenta e gradual’. Com a aprovação da Lei da Anistia, em 1979, pelo governo de João Batista Figueiredo, esperava-se que o regime cessasse rapidamente.


Somente em 1985 a Redemocratização do Brasil foi concluída. Os militares enfrentavam dificuldades para recuperar a economia do país. Nesta época, os índices de inflação eram muito altos, além dos inúmeros casos de corrupção na máquina pública revelados pela imprensa. Os setores de saúde e educação enfrentavam rombos enormes e a sociedade pressionava para que os militares deixassem o poder.
A eleição presidencial de Tancredo Neves em 1984 pelo Colégio Eleitoral marcou o fim da Ditadura Militar, apesar de não obter apoio de partidos da esquerda como o Partido dos Trabalhadores e o Partido Comunista.


Entretanto, Tancredo Neves foi internado antes de ocupar o cargo e faleceu um mês depois. Quem ocupou o cargo da presidência foi seu vice, José Sarney.
Durante o Governo Sarney, uma nova Constituição foi formulada e concluída em 1988. O texto previa o fim da censura e proclamava o direito às liberdades civis da sociedade.
Em 1989, a sociedade votou pela primeira vez após o fim do Regime Militar, elegendo como presidente Fernando Collor de Mello.









O que representou a REDEMOCRATIZAÇÃO para o Brasil?
Elabore um texto ( mínimo 15 linhas) sobre a passagem do Brasil ditador para o Brasil democrático.

7 comentários:

  1. Elissandra Sales 3 ano EM8 de outubro de 2012 20:53

    1- Representou processos de transição política que acabou com regimes ditatoriais no país onde a primeira redemocratização ocorreu em 1945 com o fim do estado novo.

    2-O Brasil era um país democrático, elegia seus presidentes a cada cinco anos, durante quase 20 anos, desde que a democracia havia sido instalada no país. Havia uma multiplicidade de órgãos de imprensa - jornais, revistas, rádios, televisões -, que se expressavam sem limites. Os brasileiros podiam se organizar na forma que decidissem - sindicatos, movimentos sociais, organizações empresariais de pequenos e médios empresários, centros culturais. Havia discussão publica sobre os destinos do país, com as mais distintas opiniões sendo expressas amplamente.A vida universitária era intensa, com destaque para grandes nomes da intelectualidade brasileira. A música - especialmente através da Bossa Nova -, o cinema - com o Cinema Novo -, o futebol - com a Copa do Mundo na Suécia -, a literatura - com Guimarães Rosa, Drummond, Manuel Bandeira, Jorge Amado, Vinicius de Morais, entre tantos -, o teatro - com o Teatro de Arena, o Oficina, o Opinião - eram mais criativos que nunca.

    O Brasil não era uma sociedade justa, mas avançava nessa direção. O desenvolvimento econômico era um objetivo nacional, acompanhado de políticas de distribuição de renda. Começava um processo de reforma agrária, de reforma educacional, que iniciava um movimento de expansão da rede pública de ensino. O Brasil punha em prática uma política externa independente.

    ResponderExcluir
  2. Josilany Sena de Gois 3º ano e.m8 de outubro de 2012 21:19

    A Redemocratização do Brasil foram dois processos da política que acabaram com os regimes ditatoriais. A primeira redemocratização ocorreu em 1945, com o fim do Estado Novo(1937-45), golpe militar do governo de Getúlio Vargas. A segunda, aconteceu em 1985, com o fim do Regime Militar (1964-85), ou seja, o período de abertura política, recuperação da democracia do povo que foi abolida pelo Regime Militar.Esse período chamado de redemocratização vai desde o governo Ernesto Geisel até a eleição indireta de Tancredo Neves, que morreu pouco antes de assumir o poder, resultando na posse de José Sarney, cujo período na presidência inicia a Nova República. Mas o fato que mais marcou esse período foi o movimento diretas-já, uma campanha que mobilizou milhões, no mandato do presidente João Figueiredo, tendo como objetivo pressionar o Legislativo para aceitar a Emenda Dante de Oliveira, que restituía o voto direto para presidente. Esse movimento marcou o Brasil na década de 80, e uniu várias personalidades de todos os campos atrás de seus direitos ‘’o voto’’. A emenda não foi aceita.Mas o candidato apoiado pelo povo chegou a ganhar as eleições de modo indireto, mas morreu antes de assumir a presidência, de modo geral foi esse processo que mobilizou o país para exigir seus direitos.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. A Redemoratização ocorrida em 1984 representa a vitória de todos aqueles que foram torturados, exilados ou mortos pelo regime militar. Fez valer todo o sofrimento e repressão que este período impôs na vida dos brasileiros. Mas a felicidade só foi completa anos depois, já que as eleições que ocorreram logo após o fim da ditadura foram indiretas.
    Porém a atual realidade do Brasil faz-nos pensar se houve o não, realmente, uma revolução depois daquele período até os dias de hoje, pois inúmeras pesquisas comprovam que a corrupção política nos últimos anos é absurdamente maior que a do tempo ditadorial, e ao invés de letras músicais de protesto, como as escritas por Caetano Veloso e outros, vemos como sucesso algo que diz "eu quero tchu, eu quero tcha". Será que já não está na hora de pintarmos nossas caras novamente, como fizeram a pouco mais de vinte anos e nos revoltar? Hoje possuímos um direito que muitos morreram, como dito anteriormente, para conquistar: o voto. Façamos ele valer!

    ResponderExcluir
  5. 1 - Foi o processo de transição do regime ditatorial para a democracia em que o povo lutou pela liberdade de expressão e do voto direto e livre. Se a redemocratização não tivesse ocorrido ainda sofreríamos com as censuras e repressões do governo.

    2- Dois processos ocorridos em períodos distintos receberam o nome de redemocratização: o primeiro, culminado em 1945, com a deposição de Getúlio Vargas, dando fim a uma ditadura iniciada com o golpe de 1937; no segundo, após o período ditatorial iniciado com o Golpe de 1964, o processo de redemocratização teve início no governo do general João Batista Figueiredo, com a anistia aos acusados ou condenados por crimes políticos, processo perturbado pela chamada linha dura. Em dezembro de 1979, o governo modificou a legislação partidária e eleitoral e restabeleceu o pluripartidarismo. Com o agravamento da crise econômica, inflação e recessão, os partidos de oposição ao regime cresceram; da mesma forma fortaleceram-se os sindicatos e as entidades de classe. Em 1984, o País mobilizou-se na campanha pelas "Diretas Já". Em um quadro de dificuldades econômicas que o país sofria, o apoio da sociedade torna-se indispensável. Para consegui-lo, Geisel anuncia uma "distensão lenta, gradual e segura" do regime autoritário em direção à democracia. Começa a se formar um movimento suprapartidário em favor da aprovação da emenda constitucional, proposta pelo deputado federal mato-grossense Dante de Oliveira, que restabelece a eleição direta para a Presidência da República. A campanha das Diretas Já se espalha em grandes comícios, passeatas e manifestações por todo o país. Declarando apoio à emenda constitucional do deputado federal Dante de Oliveira que permitia a eleição direta para a Presidência da República. Mas a emenda foi derrotada na Câmara dos Deputados em votação realizada em 25 de abril: não alcançou número mínimo de votos para ser aprovada. Em 15 de janeiro de 1985, o governador de Minas Gerais Tancredo Neves foi eleito Presidente da República pelo Colégio Eleitoral, com José Sarney como vice-presidente. Tancredo, porém faleceu em 21 de abril de 1985 em Cidade de São Paulo. Sarney assumiu a Presidência no dia 15 de março, dando fim a 21 anos de ditadura militar no Brasil. Mas a redemocratização só foi completa com a promulgação da Constituição de 88, a Constituição Federal, em 5 de outubro de 1988.

    ResponderExcluir
  6. Instituto Frei João Pedro de Sexto
    Nome: José Guilherme Costa Gonçalves
    Série: 9º Ano
    Nº: 16

    # Texto sobre a redemocratização:

    O processo de redemocratização no Brasil foi um período conturbado no país. Inicialmente os regimes ditatoriais da Ditadura Militar no Brasil (1964-1984) haviam se tornado impopulares perante a opinião pública. A população pressionava o governo e os militares a se retirarem do poder. A população estava insatisfeita com as medidas controladoras e recessivas adotadas naquele contexto. O regime militar então foi gradualmente iniciando um processo de abertura política, até que chegou um momento em que foram instauradas eleições para a presidência, no final do ano de 1964. Contudo, as eleições não foram diretas, já que o candidato eleito, Tancredo Neves, havia sido escolhido pelo Colégio Eleitoral sem que a população pudesse exercer sua cidadania através da escolha do presidente pelo sistema representativo. Tancredo Neves antes de assumir, foi alvo de uma doença que o debilitou e o levou à morte, fazendo com que José Sarney, seu vice-presidente, que defendia o regime militar, assumisse.
    Nesse contexto, o Brasil enfrentou grandes crises na economia. O país se encontrava com altos índices inflacionários, o que obrigou o presidente a adotar o chamado Plano Cruzado, que estabelecia uma nova moeda para o Brasil, o Cruzado, adotava o congelamento e o tabelamento dos preços, reduzia as taxas de juros, desestimulava ao consumo e ainda congelava os valores dos salários. Essas medidas fracassaram e fizeram com que mais uma vez a população ficasse insatisfeita. Novos planos econômicos foram adotados por Sarney, mas também fracassaram. Em 1988 foi até promulgada a Nova Constituição, a de 1988, que é a que perdura até hoje e que garantiu teoricamente a formação de uma república presidencialista representativa, mas isso não significou a aprovação geral ao governo de Sarney.
    Em 1989 novas eleições foram feitas, de forma direta, e fizeram com que o candidato do PRN (Partido da Renovação Nacional), Fernando Collor de Mello assumisse a presidência do país. Esse governo mais uma vez gerou insatisfação pelos esquemas de extorsão e corrupção ligados ao plano Collor, instaurado pelo presidente como forma de melhorar a economia, o que era apenas uma fachada para um grande esquema comandado por PC Farias, o tesoureiro da campanha presidencial de Collor. O governo de Collor foi um período de muitas instabilidades, crises e até do impeachment que derrubou o governante do poder, mas foi nesse contexto que a sociedade brasileira pôde finalmente exercer a sua democracia da forma devida, elegendo seu presidente por voto direto. A redemocratização quando se instaurou, demorou pra alcançar seus princípios plenos, mas foi essencial para dar aos brasileiros a sua devida cidadania, garantindo a eles o direito de escolherem seus candidatos por meio do voto direto, em um sistema presidencialista e representativo.

    ResponderExcluir
  7. Redemocratização significou para o Brasil uma restauração na democracia, onde ocorrem em dois processos. A primeira ocorreu com o fim do Estado Novo, que foi um golpe militar promovido pelo governo de Getúlio Vargas. A segunda redemocratização ocorreu logo após o fim do regime militar. Nesse processo, iniciou-se com o governo de José Sarney, que consistiu em um marco na política brasileira, pois foi o primeiro presidente civil ser eleito, após a ditadura militar. Sarney era o vice-presidente de Tancredo Neves, que faleceu antes de assumir o poder, assim Sarney passou a assumir o poder. Esse governo ficou muito conhecido com o Plano Cruzado, mas fracassou e Sarney implantou o Plano Bresser e o Plano de Verão, que também não conseguiu conter a inflação. Depois foi o governo de Fernando Collor de Mello, o primeiro presidente eleito pelo voto direto no Brasil. Esse governo ficou conhecido com o Plano Collor e o Impeachment de Fernando Collor, denunciado pelo seu irmão, que estaria participando de um esquema de corrupção, organizado pelo ex-tesoureiro da Campanha, mas conhecido como PC Farias. Com a renúncia de Collor, quem assumiu foi sei vice, Itamar Franco, que implantou o Plano real e trouxe muitos benefícios para o Brasil. Concluindo, a redemocratização significou bastante para o país, onde os brasileiros conseguiram seus direitos de cidadãos, possibilitando a eles o direito de escolher seu candidato, através do voto direto.

    Escola: Instituto Frei João Pedro de Sexto
    Nome: José Victor Abreu Penha N°:17 Série: 9° ano

    ResponderExcluir