domingo, 21 de abril de 2013

RENASCIMENTO COMERCIAL E URBANO NA BAIXA IDADE MÉDIA












Clique AQUI e estude sobre o Iluminismo e resolva as questões propostas no link referente ao assunto.




OBSERVAÇÃO: Ao resolver as questões justifique o porquê  da sua resposta através de argumentos críticos baseados no que você viu em sala de aula, leu no livro didático e em outras fontes de estudo.


Questão 1: (UNEMAT/MT) Observe o mapa abaixo:



Sobre a economia da Europa no século XIII e julgue as alternativas:
A - Existem três grandes rotas comerciais restritas ao continente europeu: a Rota Veneziana, a Rota Flamenga (Mar do Norte/Báltico) e a Rota Africana.
B - Na Europa, por causa do comércio das especiarias, duas grandes cidades se destacam: Veneza e Constantinopla.
C - Três grandes rotas levam produtos do Extremo Oriente para o Oriente Médio: Rota da Seda, Rotas das Especiarias e uma rota do Mar Vermelho que abastece Cairo.
D - As rotas do Mar do Norte e Mar Báltico comercializam, principalmente, produtos como especiarias, seda, marfim, escravos.

Questão 2: (FAVIC/BA) Como uma das consequências da acumulação de riquezas proporcionada pelo crescimento do comércio e da vida urbana, no fim da Idade Média, pode-se citar:
A - a decadência do poder absoluto dos reis, contestado pelos filósofos iluministas defensores da democracia;
B - a organização do movimento cruzadista com o apoio financeiro da burguesia, interessada em comercializar com o Oriente;
C - a invenção da imprensa, que permitiu maior troca de ideias, inclusive sobre a Igreja Católica, o que contribuiu para a eclosão do movimento reformista;
D - o fato de que os artesãos ficaram prejudicados quando o comércio interno das cidades nascentes foi atingido pela falta de circulação de moedas, abalando o sistema corporativo;
E - a concentração de riquezas em poder dos comerciantes, porque a circulação de mercadorias gerava mais lucros que a sua produção, dando origem à fase de acumulação primitiva de capitais.

Questão 3: (UEFS/BA) Sistema familiar: os membros de uma família produzem artigos para o seu consumo, e não para a venda. O trabalho não se fazia com o objetivo de atender ao mercado (...) Sistema de corporações: produção realizada por mestres artesãos independentes, com dois ou três empregados, para o mercado, pequeno e estável. Os trabalhadores eram donos tanto da matéria-prima que utilizavam como das ferramentas que trabalhavam (...) Sistema doméstico: produção realizada em casa (...) pelo mestre artesão com ajudantes, tal como no sistema de corporações. Com uma diferença importante: os mestres já não eram independentes; tinham ainda a propriedade dos instrumentos de trabalho, mas dependiam, para a matéria-prima, de empreendedor que se interpusera entre eles e o consumidor (...) Sistema fabril: produção para um mercado casa vez maior e oscilante, realizada fora de casa, nos edifícios do empregador e sob rigorosa supervisão. Os trabalhadores perderam sua completa independência (...)
(Huberman, p. 115) Em relação à evolução do sistema de produção, pode-se afirmar:
A - O sistema de produção familiar atendia aos interesses mercantilistas das metrópoles, na medida em que o Estado Absolutista tinha o controle absoluto sobre a produção artesanal.
B - O sistema de corporações de ofício atendia às necessidades da sociedade medieval, cuja produção era restrita aos mercados feudais.
C - O racionalismo renascentista, ao desenvolver a divisão técnica do trabalho, foi fundamental para o desenvolvimento das corporações de ofício.
D - O surgimento do sistema doméstico, provocando o aparecimento do comerciante intermediário, atrasou o desenvolvimento da maquinofatura, ao deslocar o capital da produção para a circulação.
E - O desenvolvimento do sistema fabril foi dificultado pela concorrência estabelecida pelos artesãos, presos às formas tradicionais de produção.

Questão 4: (PUC-MG) A contextualização histórica das informações apresentadas no mapa acima reproduzido permite afirmar que, exceto:
A - as diversas cidades localizadas nas rotas comerciais, da Europa e fora dela, tornaram-se centros urbanos importantes e prósperos;
B - a expansão das atividades mercantis foi muito mais intensa no Leste Europeu, o que estimulou o avanço das forças capitalistas naquela região;
C - as mercadorias vindas do Extremo Oriente e do Norte da África entravam na Europa a partir da Itália e dela se distribuíam por todo o continente;
D - o comércio se estendeu até o Mar do Norte e o Mar Báltico, fortalecendo as chamadas Hansas, poderosas associações de comerciantes.

Questão 5: (UFG/GO) A Idade Moderna pode ser considerada como um período de expansão: comércio, técnica e conquista formaram um conjunto de práticas políticas e sociais implementadas pelos países europeus. Mas é forçoso reconhecer que as mudanças que propiciaram essa expansão acentuada estão situadas na Baixa Idade Média. Acerca das transformações tecnológicas ocorridas entre o fim da Idade Média e a formação do mundo moderno, pode-se afirmar que:
A - a disseminação de técnicas agrícolas como o moinho de água, o arado e o sistema de rodízio das terras foram conquistas da Idade Moderna que se tornaram possíveis graças ao rompimento da economia de subsistência própria do mundo medieval.
B - a difusão da imprensa era um indicativo de um novo modo de sociabilidade pautado pela troca de informações capaz de responder ao desejo de mudança que impulsionava o homem moderno.
C - o desenvolvimento da técnica, de novas concepções e atitudes diante do mundo fortaleceram as tradições medievais, como a valorização do latim que se impôs como linguagem das transações econômicas entre distintos povos.
D - entre os séculos XV e XVI, o interesse pelas especiarias, metais preciosos e tráfico de escravos compuseram a lógica econômica do Sistema Colonial, que transformava a colônia em base para a acumulação mercantil.

Questão 6: (UFPE) Apesar das dificuldades de comunicação durante a Idade Média, o comércio era desenvolvido por terra, rios e mar. Sobre esta prática econômica, analise as proposições abaixo:
A - Os normandos conseguiram manter aberto o comércio na região do Mar Báltico, estabelecendo uma circulação de mercadorias apenas entre reinos da Europa Ocidental.
B - A rota do Mar do Norte e do Mar Báltico se tornou uma das mais ativas, chegando a ocupar o terceiro lugar em importância na Europa, durante a Idade Média.
C - O principal circuito comercial europeu, deste período, estava formado pelos entrepostos do Oriente Médio, pelas cidades da península Itálica e pela região de Flandres.
D - Os tecidos de seda produzidos na região de Flandres chegaram aos mais distantes mercados orientais, com o apoio dos entrepostos comerciais dominados pelos árabes.
E - O comércio do Norte da Europa foi controlado por mercadores da Hansa Teutônica ou Liga Hanseática, constituída no século XIV.

Questão 7: (PUC-SP) A Idade Média Ocidental:
A - conheceu, até o século X, intensa atividade comercial e urbana, que foi substituída posteriormente pelo predomínio do campo e da produção agrícola de subsistência, realizada nos arredores das cidades;
B - apresentou, nas várias regiões, forte unidade política, herdada do Império Romano, até o século VIII, ocorrendo, posteriormente, crescente fragmentação até o século XVI;
C - teve, no início, um período de pouca hierarquia social, com privilégio apenas para os setores eclesiásticos, e gradativa ampliação do poder camponês a partir do século XI;
D - foi um período de absorções, negações e adequações entre a cultura clerical e a laica, havendo claro predomínio da primeira até o século XII e gradativo crescimento da postura laico-humanista a partir de então;
E - representou, nos primeiros séculos, a persistência do politeísmo herdado da tradição greco-romana e, após o século XI, a vitória rápida do protestantismo contra o catolicismo.

Questão 8: (UFSCAR/SP) O crescimento populacional na Europa Ocidental, a partir do século XI, implicou dificuldades sociais, devido à:
A - mentalidade teocêntrica típica da Idade Média, que condenava o trabalho produtivo;
B - descentralização política feudal, que impedia a livre circulação da mão-de-obra;
C - população exígua das cidades medievais, comprimidas no interior de muralhas;
D - regulamentação das Corporações de Ofício, que proibia a formação de artesãos;
E - baixa produtividade da economia medieval e a sua limitada possibilidade de expansão.

Questão 9: (UFC) Leia o texto seguinte: "Entre o início do século XII e meados do século XV, por todo o Ocidente se produziu, em graus de fato diversos, uma mutação profunda, ligada à generalização da escrita nas administrações públicas, que levou a racionalizar e sistematizar o uso da memória." (ZUMTHOR, Paul. A letra e a voz a literatura medieval. São Paulo. Companhia das Letras. 1993. p. 28) Considerando o comentário apresentado acima sobre a Idade Média, é correto afirmar que:
A - a centralização monárquica, na maioria dos países europeus, popularizou o uso da escrita;
B - as transformações culturais registradas resultaram da Revolução Comercial iniciada no século VII;
C - a valorização da escrita na administração pública decorreu da expansão das universidades medievais;
D - a descentralização política incentivou a concorrência feudal, favorecendo o desenvolvimento cultural;
E - o renascimento urbano e o desenvolvimento comercial estimularam o emprego da escrita para além dos mosteiros.

Questão 10: (UFRGS) No final da Idade Média, nas cidades do Ocidente, os ofícios eram organizados por associações profissionais com forte influência nas atividades econômicas e nas formas de sociabilidade urbanas. Leia as afirmações a seguir sobre as Corporações de Ofício:
I. As primeiras associações profissionais começaram a surgir desde o século IX; eram congregações com forte influência religiosa e tinham por objetivo o auxílio mútuo entre os membros.
II. Na Baixa Idade Média, eram em geral controladas por um colegiado integrado pelos Mestres de Ofício, os quais fiscalizavam o respeito aos regulamentos corporativos, excluindo das decisões os artífices menos qualificados.
III. Seus estatutos previam o controle do tipo de matéria-prima utilizada na produção, a quantidade e a qualidade dos produtos, o preço e as condições de venda das mercadorias, com o fim de evitar a concorrência.
Quais estão corretas?
A - Apenas I.
B - Apenas I e III.
C - I, II e III.
D - Apenas II
E - Apenas II e III.

Questão 11: (FUVEST/SP) "Foi de vital importância o fato de que, a partir do século XII, nobres e burgueses passaram a morar na parte cercada pelas muralhas das cidades. Os interesses e prazeres das duas classes tornaram-se assim semelhantes..." (Jacob Burckhardt, 1860). Sobre esse fenômeno, pode-se afirmar que:
A - ocorreu em todos os lugares da Europa onde se desenvolveram cidades, pondo fim à dominação social da nobreza;
B - ocorreu em todas as cidades marítimas, de Lisboa a Hamburgo, passando pela Itália do Norte e Flandres;
C - foi interrompido pela nobreza, a partir da crise do século XIV, depois de ter se desenvolvido na Baixa Idade Média;
D - marcou as mais importantes cidades italiana, constituindo-se num dos fatores sociais do Renascimento;
E - marcou as mais importantes cidades europeias, constituindo-se num dos fatores da criação das universidades medievais.

Questão 12: (FGV/SP) Efetivamente, em todos os pontos do reino onde se obtém a mais fina lã, portanto a mais preciosa, os senhores, os nobres e até os santos abades não se contentam mais com os rendimentos e produtos que seus antepassados costumavam retirar de seus domínios. Não lhes é mais suficiente viver na preguiça e nos prazeres; estes homens, que nunca foram úteis à sociedade, querem-lhe ainda ser nocivos. Não deixam nenhuma parcela de terra para ser lavrada; toda ela transformou-se em pastagens. Derrubam casas, destroem aldeias, e, se poupam as igrejas, é, provavelmente, porque servem de estábulos a seus carneiros [...] Assim, para que um insaciável devorador, peste e praga de seu próprio país, possa abarcar num único campo milhares de braças, uma quantidade de pequenos agricultores se veem escorraçados de seus bens. Uns saem enganados, outros são expulsos à força; alguns, enfim, cansados de tantos vexames, se veem forçados a vender o que possuem. Enfim, esses infelizes partem, homens e mulheres, casais, órfãos, viúvos, pais com filhos nos braços. Todos emigram, largam seus lugares, os lugares onde viveram, e não sabem onde se refugiar. Toda sua bagagem, que pouco valeria se tivessem a possibilidade de esperar um comprador, é cedida a preço vil, dada a necessidade de dela se desfazerem. Logo os veremos errantes, privados de qualquer recurso. Só lhes resta roubar e serem enforcados, segundo as regras. (MORUS, Thomas. A Utopia. 2.a ed., Brasília, Ed. Universidade de Brasília, 1982, p. 16.) O texto refere-se a um importante elemento no processo de transição do feudalismo para o capitalismo na Inglaterra. Tal elemento é conhecido como:
A - Arroteamento, ou seja, o aproveitamento de novas terras para as atividades agrícolas.
B - Aforamento, ou seja, um tipo de concessão de terras a camponeses.
C - Afolhamento, ou seja, a organização das parcelas a ser cultivadas.
D - Cercamento, ou seja, a separação e a apropriação individual das terras comuns e dos campos abertos.
E - Descimento, ou seja, a ocupação das terras baixas para a criação de animais.

Questão 13: (FUVEST/SP) A prosperidade das cidades medievais (séculos XII a XIV), com seus mercadores e artesãos, suas universidades e catedrais, foi possível graças:
A - à diminuição do poder político dos senhores feudais sobre as comunidades camponesas que passaram a ser protegidas pela Igreja;
B - à união que se estabeleceu entre o feudalismo, que dominava a vida rural, e o capitalismo, que dominava a vida urbana;
C - à subordinação econômica, com relação aos camponeses, e política, com relação aos senhores feudais;
D - ao aumento da produção agrícola feudal, decorrente tanto da incorporação de novas terras quanto de novas técnicas;
E - campo abastecer prioritariamente os setores urbanos.

Questão 14: (UNIMEP/SP) A finalidade das universidades nos séculos XII e XIII aproxima-se daquela das corporações de ofício que se caracterizam pela:
A - organização de mestres e aprendizes em defesa de seus interesses e instauração de um monopólio;
B - manutenção de um privilégio: o dos primogênitos;
C - subordinação e obediência às ordens monásticas;
D - as alternativas a, b e c estão corretas;
E - nenhuma das alternativas acima está correta.

Questão 15: (FGV/RJ) As feiras na Idade Média constituíram-se:
A - instrumentos de comércio local das cidades para o abastecimento do cotidiano dos seus habitantes;
B - áreas exclusivas de câmbio das diversas moedas europeias;
C - locais de comércio de amplitude continental que dinamizaram a economia da época;
D - locais fixos de comercialização da produção dos feudos;
E - instituições carolíngias para renascimento com as invasões no Mediterrâneo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário