segunda-feira, 19 de outubro de 2015

OS ASSUNTOS DE HISTÓRIA MAIS COBRADOS NO ENEM DESDE 1998



Uma das áreas de conhecimento abrangidas pelo Exame Nacional do Ensino Médio é Ciências Humanas e suas Tecnologias. Esta parte da prova engloba as disciplinas de História, Geografia, Filosofia e Sociologia. A cada ano, a avaliação investe mais no caráter interdisciplinar, o que significa que uma única questão pode ser composta por um tema que transita por todas essas disciplinas. Esta é uma grande tendência da Educação brasileira que visa desenvolver o comportamento ético e a visão de mundo dos estudantes. Para isso, faz-se uso de recursos variados, como documentos, cartas, livros e gravuras. As questões do Enem geralmente estão relacionadas a aspectos da identidade e da cultura, com discussões temáticas sobre Estado, direitos, evolução tecnológica, comportamento, cidadania e democracia.

Desde a reformulação do Enem, em 2009, a preocupação dos estudantes aumentou com a avaliação. A grande quantidade de questões, os dois dias de prova, a redação e o caráter interdisciplinar são aspectos que exigem mais dedicação nos estudos e, principalmente, a habilidade de articular informações. No que se refere ao conteúdo de Ciências Humanas e suas Tecnologias, o candidato deve ser capaz de recorrer a tudo que estudou no decorrer do Ensino Médio para melhor interpretar os enunciados das questões propostas. Em geral, essas questões são compostas de longos enunciados com linguagem mais erudita, o que exige mais atenção e concentração. O estudante atento consegue identificar a resposta no próprio enunciado. Por isso, uma dica para esses exercícios é ler primeiro a questão proposta, pois vai ajudar a direcionar a leitura do enunciado com mais clareza.

Acerca especificamente das questões de História no Enem, algumas características podem ser apresentadas e condutas orientadas. Assim como as outras disciplinas de Ciências Humanas e suas Tecnologias, a prova de História também é composta por textos longos e rebuscados que exigem boa leitura e interpretação e articulação com os conteúdos estudados no Ensino Médio. Mas o diferencial é saber relacionar acontecimentos antigos com temas atuais relativos ao mesmo assunto. Assim, algumas questões partem de temáticas exploradas em eventos contemporâneos para avaliar sobre o conhecimento do passado. Naturalmente, o sentido oposto também é explorado. Tendo em vista essas características e exigências, o candidato deve se habituar à leitura, explorando e se acostumando com textos mais extensos e complexos. Caso contrário, não conseguirá manter o foco durante a prova, que já é cansativa por sua própria extensão. Em caso de enunciados muito longos, lembrar-se de ler primeiro a pergunta para direcionar a leitura do texto e identificar mais facilmente a resposta, que pode estar bem clara. Este recurso evita que a primeira leitura do enunciado seja muito descontextualizada. Mas, claro, é importante ler o enunciado quantas vezes for preciso para consolidar sua compreensão, afinal, ele é fundamental para a resposta. Não se pode esquecer também de ler a referência do texto apresentado ou das imagens e gravuras. Nelas estão contidas informações sobre datas e autoria que facilitarão a identificação de eventos e de contextos históricos.


É preciso estudar bastante o conteúdo, pois ele é o fundamentador das reflexões. Por exemplo, questões que abordam o direito ao voto podem articular conteúdos sobre Revolução Francesa, Brasil Republicano, Coronelismo e Diretas Já. Questões pertinentes ao desenvolvimento do capitalismo e o surgimento das classes sociais podem explorar conhecimentos sobre a Era Vargas, Liberalismo, Socialismo, Comunismo, Anarquismo e Revolução Russa.

Avaliando a prova de História do Exame Nacional do Ensino Médio desde sua criação, em 1998, os temas mais recorrentes, em ordem, são: Brasil República; Era Vargas; Segunda GuerraMundial e Brasil Colônia; Militarismo no Brasil, Escravidão e Idade Média; e Guerra Fria, Revolução Industrial e Liberalismo. Todos permitem uma ampla abordagem relacionada a fatos atuais e é recomendável que se tenha atenção especial com eles. Também são sempre cotadas para aparecer questões sobre Egito e Mesopotâmia, Grécia e Roma, Renascimento, Reforma Religiosa, Antigo Regime, Independência da América Espanhola e Nazifascismo. É preciso estar sempre atento aos fatos da atualidade para enriquecer as análises na avaliação. Dois acontecimentos recentes, em especial, tendem a aparecer na prova. O primeiro deles envolve a instalação da Comissão da Verdade, que pode exigir reflexões sobre memória nacional, ditadura militar e democratização. Outro destaque está relacionado à eleição do Papa Francisco, que pode oferecer questões dedicadas a toda a história da Igreja Católica, com temas sobre seu poder, Cruzadas, interferência no Estado, inquisição e reformas religiosas.

Em resumo, a grande sugestão para a prova de História e de Ciências Humanas e suas Tecnologias no Enem é muita leitura. Não só do conteúdo do Ensino Médio, mas de livros variados, revistas e jornais. Uma prática com muitos benefícios para a avaliação e também para a vida.


Adaptado de Infoescola

Nenhum comentário:

Postar um comentário