8º ano

2014 - 1º Bimestre

Sobre os rolezinhos e a discriminação

Clique aqui e leia mais 
























4º BIMESTRE



SEGUNDO REINADO

1-  Com que idade D.Pedro II assumiu o trono do Brasil? Qual seria a sua função e com a ajuda de quem?
2- Explique como funciona o Parlamentarismo.
3- Após a Regência o poder voltou a ser centralizado. Quais as medidas tomadas para o regresso  conservador?
4- Por que no Brasil o Parlamentarismo ficou conhecido como Parlamentarismo as avessas?
5- Qual o ponto ideológico que diferenciava os partidos LIBERAL e  CONSERVADOR?
6- Onde ocorreu a Revolução Praieira? Qual seu objetivo? Qual o resultado?
7-  Qual o principal produto da economia brasileira no Segundo Reinado? Comente.
8- Além do café havia outras atividades econômicas no Brasil. Quais? Comente.
9- O que foi  Era Mauá?
10- Explique a Tarifa Alves Branco.
11- Quais as consequências do fim do Tráfico Negreiro em 1850?
12- Explique a política de branqueamento adotada  no Brasil.
13- O que foi a Lei Eusébio de Queirós?
14- O que foi o tráfico interprovincial?
15- Explique a Lei do Ventre Livre.
16- Qual a relação do exército e da igreja com o fim da escravidão no Brasil?
17- Explique a Lei do Sexagenário.
18- Explique a Lei Áurea.
19- Qual a relação da imigração com o fim da escravidão no Brasil?
20- Durante a imigração houve o sistema de parceria e colonato. Explique como eles funcionavam
21- Explique a Lei de Terras.
22- O que significa POSITIVISMO do ponto de vista filosófico?
23- Quais as principais causas da decadência do Império no Brasil?
24- Quais as causas, desenvolvimento e consequências da Guerra do Paraguai?
25- Qual o principal problema do exército brasileiro durante a Guerra do Paraguai?
26- O que foi a Questão Christie?
27- Explique a questão religiosa que gerou crise no Império .
28- Explique a questão militar que gerou crise no Império.
29- Explique a questão republicana que gerou crise no Império.
30- Como a questão abolicionista interferiu no fim do Império?
31- Comente sobre o Golpe da República no Brasil em 15 de novembro de 1889.






















ASSUNTO: PRIMEIRO REINADO ( Clique no link da aula, estude e resolva as questões propostas )




3º BIMESTRE
2013


 AULA 1
ASSUNTO:   INDEPENDÊNCIA DAS COLÔNIAS ESPANHOLAS .   ( Clique no link com o tema da aula , estude e resolva as questões propostas)













ROTEIRO DE ESTUDO PARA A PROVA DO 2º BIMESTRE

UNIDADE 3
CAPÍTULO 2 – ILUMINISMO
CAPÍTULO 3 – INDEPENDÊNCIA DOS EUA
UNIDADE 4
CAPÍTULO 1 – REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
CAPÍTULO 2 – REVOLUÇÃO FRANCESA ( ERA NAPOLEÔNICA)




1- Interprete a seguinte frase de Voltaire:
“Aquele que se orienta pela razão e pela verdade deve munir-se da coragem para enfrentar o obscurantismo e o fanatismo.”

R- (Lembre-se que interpretação é algo pessoal, então você deve escrever com suas palavras o que entendeu da frase. Não esqueça que estamos falando da época do Renascimento , onde o ser humano passou a ter mais valor, onde a ciência começou a questionar alguns dogmas religiosos. Tem também a influência das ideias iluministas, as quais priorizam em primeiro lugar a razão).
 Exemplo de uma suposta interpretação.
Através do uso da razão e dos conhecimentos científicos podemos nos libertar da ignorância .

2- Cite 2 características do Iluminismo e comente sobre elas.

R- Na página 85 do livro você encontra 4 características do Iluminismo. Escolha 2 e comente com suas palavras sobre elas.

3- Comente sobre as causas e consequências da Independência dos EUA.
R- Os colonos sentiram-se prejudicados pela proibição do comércio triangular . 
O 2º Congresso da Filadélfia decretou a separação da Inglaterra com a Declaração de Independência em 4 de julho de 1776 redigida por Thomas Jefferson.

Você sabe o que foi o comércio triangular? 
LEIA LOGO ABAIXO E FIQUE SABENDO.



O Comércio Triangular foi o principal instrumento do tráfico negreiro. Ele envolvia uma teia de interesses e de negociações entre Europa, África e América, com algumas ramificações englobando os produtos asiáticos. O processo era gerido pelas metrópoles europeias, principalmente Holanda, Inglaterra, França, Espanha e Portugal. Embora estas últimas nações estivessem já decadentes, ainda dispunham de poder em suas respectivas colônias e, portanto, nesta trajetória de produção e distribuição de mercadorias essenciais para a vida econômica global: ouro, prata, diamantes, açúcar e tabaco.

Os nativos africanos que negociavam com os europeus tinham um papel muito importante na captura e troca de seus conterrâneos, pois somente eles tinham coragem e conhecimento suficiente do território local para se enveredarem pelo interior da África em busca daqueles que se tornariam escravos em terras desconhecidas. Às vezes, porém, os próprios colonos se deslocavam até o continente africano, negociando diretamente com os negreiros, dispensando o intermédio de comerciantes europeus. Sem os negros escravizados a economia da Europa não teria sido tão beneficiada por esta rede comercial triangular. Na verdade, estas transações favoreciam, além das metrópoles, tanto os responsáveis por esta triangulação na África, quanto o mecanismo produtor das colônias americanas.
Os escravos eram utilizados pelas potências colonizadoras europeias como moeda de troca, através da qual elas importavam os produtos produzidos em suas colônias na América e nas Antilhas, completando assim os vértices do comércio triangular. Assim, não precisariam recorrer aos metais preciosos que detinham, a base do Mercantilismo. Resumindo, os produtos manufaturados europeus eram trocados por escravos na África, embarcados para a América e para as Antilhas – nestes trajetos muitos escravos, submetidos a condições cruéis durante a viagem, não sobreviviam -, onde eram permutados pelos produtos coloniais que interessavam às metrópoles.

4- Comente sobre as leis impostas pela Inglaterra a sua colônia na América do Norte. Qual o objetivo dessas leis?
O objetivo dessas leis eram aumentar a receita real abalada pelos custos da Guerra dos 7  Anos 
Impedir o comércio intercolonial conhecido como Triangular.
Promover a recuperação da colônia.

5- Explique as seguintes leis:  “Lei do Selo”, o “Monopólio do Chá” e as “Leis Intoleráveis”.



LEI DO CHÁ
É o estopim da crise entre a colônia e a metrópole, pois dá o monopólio do comércio do chá à Companhia das Índias Orientais, depositária dos interesses de diversos políticos ingleses. Com a nova legislação, a Companhia transporta o chá diretamente das Índias para a América, prejudicando os intermediários residentes na colônia.

LEI DO SELO
Lei do Selo: estabelecia uma taxação sobre todo material impresso que circulasse nas colônias.

LEIS INTOLERÁVEIS
Também conhecida como Lei do Aquartelamento- os colonos ingleses deveriam dar moradia, comida e transporte aos soldados ingleses que estavam na colônia para vigiar os colonos depois do acontecimento da Festa do Chá.
O nome designa as leis promulgadas pelo Parlamento, em 1774, em represália à revolta da Festa do chá, com o objetivo de conter o clima de insubordinação.

O porto de Boston é interditado até o pagamento dos prejuízos e são tomadas outras medidas severas, como o julgamento e a punição de todos os colonos envolvidos em distúrbios contra a Coroa. As Leis Intoleráveis provocam a convocação do Primeiro Congresso Continental de Filadélfia (1774), não-separatista, cujos participantes pedem ao rei e ao Parlamento a revogação da legislação autoritária como forma de concretizar a igualdade de direitos dos colonos.

6- Por que a Inglaterra foi a pioneira na Revolução Industrial?
Porque tinha grandes reservas de carvão mineral e minério de ferro.
Tinha mão-de obra abundante.
Havia investimento da burguesia na indústria e no mercado consumidor.

7- Como era a condição de trabalho nas fábricas inglesas durante a Revolução Industrial? Explique.
Os trabalhadores não tinham direito a nada.
Trabalhavam muito e ganhavam pouco.
Viviam em péssimas condições no ambiente de trabalho.

8-  Quais os pontos positivos e negativos do desenvolvimento industrial no mundo? Justifique. ( Destaque 2 positivos e 2 negativos)

ESSA RESPOSTA É PESSOAL. TENTE LEMBRAR QUE A INDÚSTRIA TROUXE COISAS BOAS, COMO POR EXEMPLO MAIOR CONFORTO NO NOSSO DIA-A-DIA, MAS TAMBÉM TROUXE MUITOS PROBLEMAS AMBIENTAIS , COMO POR EXEMPLO, A POLUIÇÃO DO AR, DOS RIOS, CAUSOU TAMBÉM O DESEMPREGO, PORQUE AS MÁQUINAS PASSARAM A SUBSTITUIR A MÃO-DE-OBRA HUMANA. A INDÚSTRIA SE APODEROU DO TEMPO, AS PESSOAS NÃO TÊM MAIS TEMPO LIVRE, TEMPO=DINHEIRO. OS VALORES TAMBÉM MUDARAM , PASSAMOS A VALORIZAR AS PESSOAS PELO QUE ELAS TÊM E NÃO PELO QUE SÃO. TENTE QUESTIONAR ESSES EFEITOS. MAS DESENVOLVA O TEXTO COM A SUA VISÃO CRÍTICA , OBSERVE A REALIDADE DE SEU BAIRRO DE SUA CIDADE , DE SEU PAÍS. 

9-  Destaque as características da crise do Antigo Regime, na França. Qual a relação do Terceiro Estado com essa crise?
O Antigo Regime pode ser definido como um sistema de governo que vigorou na Europa, principalmente, entre os séculos XVI e XVIII.
A principais características do Antigo Regime foram:

- Absolutismo: forma de governo totalmente concentrada na figura do rei. Este exercia seu poder sem utilizar os métodos democráticos, impondo sua própria vontade na elaboração e aplicação das leis. Grande parte dos recursos arrecadados com impostos era utilizado para manter os gastos e o luxo da corte.
- Mercantilismo: o estado tinha como objetivos a obtenção de metais precisos (para fabricação de moedas), manutenção da balança comercial favorável, protecionismo alfandegário, acúmulo de riquezas nas mãos dos reis e ênfase no comércio marítimo.

A Revolução Francesa (1789), foi o fato histórico que deu início ao fim do Antigo Regime na Europa, pois tirou do poder a monarquia absolutista.

O Terceiro Estado era formado pela classe mais baixa e pela burguesia. Ele nunca tinham direitos, sendo a nobreza e o clero os beneficiados. Com a crise do Antigo Regime , a burguesia pode ter mais privilégios. Lembre-se que nesse período surgem ideias como o Iluminismo e também inicia-se a Revolução Industrial. 

10- Destaque a importância de Napoleão Bonaparte para a História da França.


Além de ser um gênio militar, que contribuiu para evitar que as monarquias absolutistas europeias derrotassem a França e restituíssem o Antigo Regime, cabe destacar o Código Napoleônico, criado em 1804, que é ainda o Código Civil francês. O Código Napoleônico foi o primeiro código de leis de sucesso na Europa a enfatizar a clareza no Direito, razão pela qual exerceu grande influência sobre as leis de outros países.













ASSUNTO: REVOLUÇÃO FRANCESA ( Clique no link sobre o tema da aula, estude e resolva as questões propostas)

ASSUNTO: REVOLUÇÃO INDUSTRIAL ( Clique no link sobre o tema da aula, estude e resolva as questões propostas)

ASSUNTO : ILUMINISMO ( Clique no link sobre o tema da aula, estude e resolva as questões propostas)


AULA DO DIA 9 DE ABRIL
2º BIMESTRE - ASSUNTO - REVOLUÇÃO INGLESA (Clique no link estude e resolva as questões propostas)

VEJA MAIS AQUI SOBRE AS SEIS MULHERES DE HENRIQUE VIII.





QUESTÕES DE REVISÃO

EXERCÍCIOS DE REVISÃO DE HISTÓRIA – 1º BIMESTRE
FUNDAMENTAL 2
Proª Isabel Aguiar
TURMA: 8º ano

1- Caracterize a economia do Brasil Colônia.

2- Explique o que é latifúndio.
3- Caracterize a escravidão no Brasil Colonial. Comente sobre a escravidão de índios e negros e diferencie da escravidão em civilizações mais antigas, como Egito, por exemplo.

4-  Por que no início da colonização, os portugueses se fixaram no litoral?

5- O que aconteceu para que os portugueses adentrassem o interior do Brasil somente no século XVII?  Quais os interesses na ocupação do interior ou sertão?

6-  Quem eram os Bandeirantes? Qual sua importância histórica?

7- Como funcionava a mineração no Brasil? Quem executava o trabalho e como o governo controlava os roubos?

8- Por que os puritanos ingleses vieram para a América do Norte? O que facilitou a colonização dessa região?
9- Qual a relação entre a ocupação inglesa na América do Norte e a Reforma Protestante na Inglaterra?

10-  A colonização da região norte e sul , na América Inglesa se deu de forma diferente. Por que?  Explique essas diferenças.

11- O que foi a UNIÃO IBÉRICA? Por que ela aconteceu?

12- Quais as mudanças na economia do Brasil durante a União Ibérica?

13- Comente sobre a invasão holandesa no Brasil durante a União Ibérica. Antes da União Ibérica, os holandeses tinham boas relações com Portugal?  Justifique.

14- Comente sobre as duas mais importantes atividades econômicas no Brasil Colonial: açúcar e ouro.

15-  Na mineração brasileira, além do trabalho escravo, houve o trabalho livre.  Indique as diferenças entre essas duas formas de trabalho e explique como funcionava o trabalho livre na época da mineração.


ASSUNTO: PROCESSOS DE COLONIZAÇÃO DA AMÉRICA PORTUGUESA. (Clique no link do assunto estudado e resolva as questões propostas seguindo as regras do blog )


Regras para usar o blog.
Toda e qualquer postagem no blog deve ter identificação (nome, colégio e turma), caso contrário será excluída. As respostas às questões propostas aos alunos devem ser feitas de forma crítica sem usar (control C + control V) . Evitem as respostas prontas, isso não lhe ajudará em nada intelectualmente. História não é "decoreba", é uma ciência séria que exige leitura, compreensão e análise crítica.



UNIÃO IBÉRICA E INVASÃO HOLANDESA NA AMÉRICA PORTUGUESA 
(CLIQUE NO LINK DO TEMA DA AULA, ESTUDE E RESOLVA AS QUESTÕES PROPOSTAS)

ATENÇÃO!!


LIVRO SOBRE A HISTÓRIA DE FREI JOÃO PEDRO ONLINE. LEIA AQUI.


Para os alunos do  IFJPS que ainda não tem o livro coma  história de Frei João Pedro, cliquei AQUI e leia sobre ele , depois faça um resumo e entregue sexta dia 22 de fevereiro de 2013, ok?


























AULA 1



AMÉRICA PORTUGUESA E AMÉRICA ESPANHOLA.



MAIS SOBRE A AMÉRICA ESPANHOLA .

INDEPENDÊNCIA DAS COLÔNIAS ESPANHOLAS NA AMÉRICA.

VEJA LISTA DE FILMES HISTÓRICOS.


Questões referentes ao assunto: Colonização da America.
1- Ano passado, estudamos o MERCANTILISMO. Caracterize-o.
2- Caracterize os povos: MAIAS, ASTECAS E INCAS.
3- Quais os fatores que impulsionaram as Grandes Navegações?
4- Por que Portugal foi pioneiro nas Grandes Navegações?
5- Leia o texto abaixo e responda:


A unificação microbiana do mundo

A globalização das doenças, ou seja, a difusão dos mesmos quadros mórbidos por todas as partes do mundo começou no ano de 1492, com a descoberta (ou conquista) da América, que assinalou, para povos e doenças, a passagem da separação à comunicação. Antes disso, diferentes condições de ambiente, de nutrição, de organização social e cultural, de presença ou ausência de agentes e de vetores biológicos das doenças transmissíveis haviam criado quadros epidemiológicos muito desiguais, no velho e no novo mundo.

Nas Américas, por exemplo, não existiam varíola, sarampo, febre-amarela, ao passo que na Eurásia e na África não havia sífilis. A sífilis manifestou-se de forma epidêmica, pela primeira vez no velho mundo, em 1495, com a conquista de Nápoles pelas tropas francesas de Carlos VIII. Os italianos por isso a chamaram de mal francês, enquanto os franceses, de mal napolitano. Quando chegou ao Oriente, os japoneses a denominaram de mal português e a estigmatização foi assim por diante. A tendência a culpar outros pelas epidemias é constante na história. Os judeus foram acusados de introduzir a peste negra na Europa; os irlandeses, de introduzir o cólera em Nova York; os italianos, a poliomielite no Brooklyn. E deve-se lembrar que a primeira definição da aids, formulada pelo Center for Disease Control (CDC) de Atlanta ao identificar a doença, foi a seguinte: imunodeficiência adquirida dos homossexuais.

Desde 1492 foi devastador o impacto das novas doenças em populações desprovidas de qualquer imunidade natural, sobretudo no continente americano, e representou uma das causas do maior genocídio ocorrido em toda a história da espécie humana. Uma das principais causas, certamente. Muitos historiadores, porém, consideram que a ênfase exclusiva nesse fator, derivado de um fenômeno então incoercível (ou seja, a relação entre microorganismos e defesas biológicas humanas), obscurece as demais causas responsáveis pelo extermínio. Causas que devem se buscar na perda da identidade, de segurança e de poder dos povos do novo mundo, e portanto no extermínio deliberado, no trabalho escravo e mortífero das minas, na ruptura de equilíbrios alimentares e no colapso psicológico e cultural que reduziu a resistência às doenças e causou até mesmo epidemias de suicídio.

A partir do século XVI realizou-se, portanto, a unificação microbiana do mundo. Mas haviam de passar três séculos antes de a humanidade (povos, governos, cultura e ciência) tomar consciência dos riscos comuns, afirmar a existência de direitos fundamentais de todos os seres humanos e começar a combater esses riscos com empenho que ultrapassou fronteiras.


RESPONDA:
5.1 - Qual a relação entre a descoberta da América e a globalização das doenças no mundo?
5.2- Quais as consequências desse choque epidemiológico para a América?

AULA SOBRE A COLONIZAÇÃO INGLESA, FRANCESA E HOLANDESA NA AMÉRICA. (ESTUDE E RESPONDA AS QUESTÕES PROPOSTAS)




45 comentários:

  1. oi jovem não se esquece de levar o video de canibalismo para o seraficp 8 ano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Professora, eu não vi o video do canibalismo pois não estava em sala, poderia por favor publicar no blog, ou então me passar algum link. Ana Glória 8ªano colégio Seráfico.

      Excluir
    2. Carla Letícia-8º ano- IFJPS7 de fevereiro de 2013 21:27

      1=Balança comercial favorável: buscar exportar mais do que importar.
      Protecionismo: proteger o mercado interno.
      Metalismo: acumulação de metais preciosos afim de ter muito riqueza nacional.
      Intervenção estatal: garantia dos monopólios comerciais em benefício do Estado.
      Pacto Colonial: exploração das colônias a fim de se garantir balança comercial favorável. Aqui as colônias só poderiam negociar com a metrópole colonizadora.


      Criaram um interessante e eficiente sistema de contagem : o quipo. Este era um instrumento feito de cordões coloridos, onde cada cor representava a contagem de algo. Com o quipo, registravam e somavam as colheitas, habitantes e impostos. Mesmo com todo desenvolvimento, este povo não desenvolveu um sistema de escrita.

      Excluir
    3. Carla Letícia-8º ano- IFJPS7 de fevereiro de 2013 21:29

      continuação:
      2=Maia

      O povo maia habitou a região das florestas tropicais das atuais Guatemala, Honduras e Península de Yucatán (região sul do atual México). Viveram nestas regiões entre os séculos IV a.C e IX a.C. Entre os séculos IX e X , os toltecas invadiram essas regiões e dominaram a civilização maia.

      Nunca chegaram a formar um império unificado, fato que favoreceu a invasão e domínio de outros povos. As cidades formavam o núcleo político e religioso da civilização e eram governadas por um estado teocrático.O império maia era considerado um representante dos deuses na Terra.
      asteca=Povo guerreiro, os astecas habitaram a região do atual México entre os séculos XIV e XVI. Fundaram no século XIV a importante cidade de Tenochtitlán (atual Cidade do México), numa região de pântanos, próxima do lago Texcoco.

      A sociedade era hierarquizada e comandada por um imperador, chefe do exército. A nobreza era também formada por sacerdotes e chefes militares. Os camponeses, artesãos e trabalhadores urbanos compunham grande parte da população. Esta camada mais baixa da sociedade era obrigada a exercer um trabalho compulsório para o imperador, quando este os convocava para trabalhos em obras públicas (canais de irrigação, estradas, templos, pirâmides).

      Durante o governo do imperador Montezuma II (início do século XVI), o império asteca chegou a ser formado por aproximadamente 500 cidades, que pagavam altos impostos para o imperador. O império começou a ser destruído em 1519 com as invasões espanholas. Os espanhóis dominaram os astecas e tomaram grande parte dos objetos de ouro desta civilização. Não satisfeitos, ainda escravizaram os astecas, forçando-os a trabalharem nas minas de ouro e prata da região.

      A zona urbana era habitada apenas pelos nobres (família real), sacerdotes (responsáveis pelos cultos e conhecimentos), chefes militares e administradores do império (cobradores de impostos). Os camponeses, que formavam a base da sociedade, artesão e trabalhadores urbanos faziam parte das camadas menos privilegiadas e tinham que pagar altos impostos.
      INCAS= O imperador, conhecido por Sapa Inca era considerado um deus na Terra. A sociedade era hierarquizada e formada por: nobres (governantes, chefes militares, juízes e sacerdotes), camada média ( funcionários públicos e trabalhadores especializados) e classe mais baixa (artesãos e os camponeses). Esta última camada pagava altos tributos ao rei em mercadorias ou com trabalhos em obras públicas.

      Na arquitetura, desenvolveram várias construções com enormes blocos de pedras encaixadas, como templos, casas e palácios. A cidade de Machu Picchu foi descoberta somente em 1911 e revelou toda a eficiente estrutura urbana desta sociedade. A agricultura era extremamente desenvolvida, pois plantavam nos chamados terraços (degraus formados nas costas das montanhas). Plantavam e colhiam feijão, milho (alimento sagrado) e batata. Construíram canais de irrigação, desviando o curso dos rios para as aldeias. A arte destacou-se pela qualidade dos objetos de ouro, prata, tecidos e jóias.

      Domesticaram a lhama (animal da família do camelo) e utilizaram como meio de transporte, além de retirar a lã , carne e leite deste animal. Além da lhama, alpacas e vicunhas também eram criadas.

      A religião tinha como principal deus o Sol (deus Inti). Porém, cultuavam também animais considerados sagrados como o condor e o jaguar. Acreditavam num criador antepassado chamado Viracocha (criador de tudo).

      Criaram um interessante e eficiente sistema de contagem : o quipo. Este era um instrumento feito de cordões coloridos, onde cada cor representava a contagem de algo. Com o quipo, registravam e somavam as colheitas, habitantes e impostos. Mesmo com todo desenvolvimento, este povo não desenvolveu um sistema de escrita.

      Excluir
    4. Carla Letícia-8º ano- IFJPS7 de fevereiro de 2013 21:31

      3=Se fosse necessário destacar, entre os fatores que impulsionaram os grande navegadores e desbravarem "mares nunca d'antes navegados", qual o primordial, teríamos que citar o fato econômico. A necessidade de baratear os preços das especiarias, com eliminação de intermediários, a procura de novos centros fornecedores de matérias-primas e de mercados consumidores, a busca de metais preciosos, cuja descoberta acalentava os sonhos dos aventureiros, foram motivos suficientemente fortes para os navegadores colocarem as caravelas no mar e partirem em direção aos desconhecido.
      4=Portugal foi o pioneiro nas navegações dos séculos XV e XVI devido a uma série de condições encontradas neste país ibérico. A grande experiência em navegações, principalmente da pesca de bacalhau, ajudou muito Portugal. As caravelas, principal meio de transporte marítimo e comercial do período, eram desenvolvidas com qualidade superior à de outras nações. Portugal contou com uma quantidade significativa de investimentos de capital vindos da burguesia e também da nobreza, interessadas nos lucros que este negócio poderia gerar.

      Excluir
    5. Carla Letícia-8º ano- IFJPS7 de fevereiro de 2013 21:31

      Final:
      5.1=Nas Américas, por exemplo, não existiam varíola, sarampo, febre-amarela, ao passo que na Eurásia e na África não havia sífilis. A sífilis manifestou-se de forma epidêmica, pela primeira vez no velho mundo, em 1495, com a conquista de Nápoles pelas tropas francesas de Carlos VIII. Os italianos por isso a chamaram de mal francês, enquanto os franceses, de mal napolitano. Quando chegou ao Oriente, os japoneses a denominaram de mal português e a estigmatização foi assim por diante. A tendência a culpar outros pelas epidemias é constante na história. Os judeus foram acusados de introduzir a peste negra na Europa; os irlandeses, de introduzir o cólera em Nova York; os italianos, a poliomielite no Brooklyn. E deve-se lembrar que a primeira definição da aids, formulada pelo Center for Disease Control (CDC) de Atlanta ao identificar a doença, foi a seguinte: imunodeficiência adquirida dos homossexuais.

      Desde 1492 foi devastador o impacto das novas doenças em populações desprovidas de qualquer imunidade natural, sobretudo no continente americano, e representou uma das causas do maior genocídio ocorrido em toda a história da espécie humana. Uma das principais causas, certamente. Muitos historiadores, porém, consideram que a ênfase exclusiva nesse fator, derivado de um fenômeno então incoercível (ou seja, a relação entre microorganismos e defesas biológicas humanas), obscurece as demais causas responsáveis pelo extermínio. Causas que devem se buscar na perda da identidade, de segurança e de poder dos povos do novo mundo, e portanto no extermínio deliberado, no trabalho escravo e mortífero das minas, na ruptura de equilíbrios alimentares e no colapso psicológico e cultural que reduziu a resistência às doenças e causou até mesmo epidemias de suicídio.
      5.2=A partir do século XVI realizou-se, portanto, a unificação microbiana do mundo. Mas haviam de passar três séculos antes de a humanidade (povos, governos, cultura e ciência) tomar consciência dos riscos comuns, afirmar a existência de direitos fundamentais de todos os seres humanos e começar a combater esses riscos com empenho que ultrapassou fronteiras.

      Excluir
    6. David Levy-8º ano- IFJPS7 de fevereiro de 2013 21:50

      01-Mercantilismo é o sistema econômico baseado no mercado. Mercantilismo é o nome dado a um conjunto de práticas econômicas desenvolvido na Europa na Idade Moderna, entre o século XV e o final do século XVIII.
      02-Maias=A civilização maia foi uma cultura mesoamericana pré-colombiana, notável por sua língua escrita (único sistema de escrita do novo mundo pré-colombiano que podia representar completamente o idioma falado no mesmo grau de eficiência que o idioma escrito no velho mundo), pela sua arte, arquitetura, matemática e sistemas astronômicos.
      Astecas=foram uma civilização mesoamericana, pré-colombiana, que floresceu principalmente entre os séculos XIV e XVI, no território correspondente ao atual México.
      Na sucessão de povos mesoamericanos que deram origem a essa civilização destacam-se os toltecas, por suas conquistas civilizatórias, florescendo entre o século X e o século XII seguidos pelos chichimecas imediatamente anteriores e praticamente fundadores do Império Asteca com a queda do Império Tolteca.
      Incas=A civilização inca foi o resultado de uma sucessão de culturas andinas pré-colombianas e um Estado-nação, o Império Inca que existiu na América do Sul de cerca de 1200 até a invasão dos conquistadores espanhóis e a execução do imperador Atahualpa em 1533.
      O império incluía regiões desde o extremo norte como o Equador e o sul da Colômbia, todo o Peru e a Bolívia, até o noroeste da Argentina e o norte do Chile.
      03-Portugal foi o primeiro país europeu a se aventurar pelos mares e vários foram os fatores que contribuíram para esse fato:
      -Insuficiência portuguesa em metais preciosos para a cunhagem da moeda
      -Falta de produtos agrícolas e de mão-de-obra
      -Desejo de expandir a fé cristã
      -Necessidade de novos mercados
      04- Porque eles que mais contribuíram para os impulsos das grandes navegações, eles teve a conquista de Ceuta foi o marco inicial da expansão ultramarina portuguesa.

      Excluir
    7. David Levy-8º ano- IFJPS7 de fevereiro de 2013 21:56

      Continuação:
      5.1-De certo modo até as duas grandes guerras mundiais de 1914-18 e a de 1939-45, e antes delas a Guerra dos Sete Anos (de 1756-1763), provocaram a intensificação da globalização quando adotaram algumas macro-estratégias militares para perseguir os adversários, num mundo quase inteiramente transformado em campo de batalha. Assim sendo, nos definimos pelas seguintes etapas: primeira fase da globalização, ou primeira globalização, dominada pela expansão mercantilista (de 1450 a 1850) da economia-mundo européia, a segunda fase, ou segunda globalização, que vai de 1850 a 1950 caracterizadas pelo expansionismo industrial-imperialista e colonialista e, por última, a globalização propriamente dita, ou globalização recente, acelerada a partir do colapso da URSS e a queda do muro de Berlim, de 1989 até o presente.
      5.2-No ano de 1492 o impacto das novas doenças em populações desprovidas de qualquer imunidade natural, sobretudo no continente americano, e representou uma das causas do maior genocídio ocorrido em toda a história da espécie humana,os seres humanos começaram a combater esses riscos com empenho que ultrapassou fronteiras.

      Excluir
  2. História do Carnaval

    O entrudo chegou ao Brasil por volta do século XVII e foi influenciado pelas festas carnavalescas que aconteciam na Europa. Em países como Itália e França, o carnaval ocorria em formas de desfiles urbanos, onde os carnavalescos usavam máscaras e fantasias. Personagens como a colombina, o pierrô e o Rei Momo também foram incorporados ao carnaval brasileiro, embora sejam de origem européia.

    No Brasil, no final do século XIX, começam a aparecer os primeiros blocos carnavalescos, cordões e os famosos "corsos". Estes últimos, tornaram-se mais populares no começo dos séculos XX. As pessoas se fantasiavam, decoravam seus carros e, em grupos, desfilavam pelas ruas das cidades. Está ai a origem dos carros alegóricos, típicos das escolas de samba atuais.

    No século XX, o carnaval foi crescendo e tornando-se cada vez mais uma festa popular. Esse crescimento ocorreu com a ajuda das marchinhas carnavalescas. As músicas deixavam o carnaval cada vez mais animado.

    A primeira escola de samba surgiu no Rio de Janeiro e chamava-se Deixa Falar. Foi criada pelo sambista carioca chamado Ismael Silva. Anos mais tarde a Deixa Falar transformou-se na escola de samba Estácio de Sá. A partir dai o carnaval de rua começa a ganhar um novo formato. Começam a surgir novas escolas de samba no Rio de Janeiro e em São Paulo. Organizadas em Ligas de Escolas de Samba, começam os primeiros campeonatos para verificar qual escola de samba era mais bonita e animada.

    instituto Frei Joao de sexto
    alunas: Emanuelle Marreiro e Vladia Alves 8ºano

    ResponderExcluir
  3. Wictória Melo - 8 ano IFJPS
    1 questão - O Mercantilismo é uma doutrina econômica que
    caracteriza o período histórico da Revolução Comercial séculos XVI-XVIII), marcado pela desintegração do feudalismo e pela formação dos Estados Nacionais. Como principal característica, defende o acúmulo de divisas em metais preciosos pelo Estado por meio de um comércio exterior de caráter protecionista. Sucintamente, alguns dos princípios básicos que caracterizam o mercantilismo são:o Estado deve incrementar o bem-estar nacional, ainda que em detrimento de seus vizinhos e colônias; a riqueza da economia nacional depende do aumento da população e do incremento do volume de metais preciosos no país; o comércio exterior deve ser estimulado, pois é por meio de uma balança comercial favorável que se aumenta o estoque de metais preciosos; o comércio e a indústria são mais importantes para a economia nacional que a agricultura. Essa concepção, como é evidente, levava a um intenso protecionismo estatal e a uma ampla intervenção do Estado na economia, para além de incrementar uma política neocolonial.
    2 questão - Os maias nunca chegaram a formar um império unificado, fato que favoreceu a invasão e domínio de outros povos vizinhos. As cidades formavam o núcleo de decisões e práticas políticas e religiosas da civilização e eram governadas por um estado teocrático.O império maia era considerado um representante dos deuses no Planeta Terra. A zona urbana era habitada apenas pelos nobres (família real), sacerdotes (responsáveis pelos cultos e conhecimentos), chefes militares e administradores do império (cobradores de impostos). Os camponeses, que formavam a base da sociedade, artesão e trabalhadores urbanos faziam parte das camadas menos privilegiadas e tinham que pagar altos impostos. A economia era baseada na agricultura, principalmente de milho, feijão e tubérculos. Suas técnicas de irrigação do solo eram muito avançadas para a época. Praticavam o comércio de mercadorias com povos vizinhos e no interior do império. Ergueram pirâmides, templos e palácios, demonstrando um grande avanço arquitetônico. O artesanato também se destacou: fiação de tecidos, uso de tintas em tecidos e roupas. A religião deste povo era politeísta, pois acreditavam em vários deuses ligados à natureza. Elaboraram um eficiente e complexo calendário que estabelecia com exatidão os 365 dias do ano. Assim como os egípcios, usaram uma escrita baseada em símbolos e desenhos (hieróglifos). Registravam acontecimentos, datas, contagem de impostos e colheitas, guerras e outros dados importantes.
    Desenvolveram muito a matemática, com destaque para a invenção das casas decimais e o valor zero.
    3 questão - As grandes viagens marítimas dos séculos XV-XVI foram uma continuação natural do renascimento do comércio na Europa, iniciado ainda na Idade Média. Esse renascimento deu origem ao capitalismo, cujo elemento impulsionador é o lucro. Era natural então que, esgotadas as possibilidades de desenvolvimento comercial na Europa, novas regiões passassem a ser exploradas, mesmo à custa de muito esforço e sacrifício. Entre os fatores que motivaram as grandes navegações marítimas, o principal foi sem dúvida a busca de lucros pela burguesia comercial e financeira da Europa. Por isso, a burguesia européia investia vultosos recursos para armar esquadras, remunerar tripulações, para financiar, enfim, as expedições oceânicas. Neste mesmo sentido, foi importante também o apoio de alguns monarcas, com os de Portugal e Espanha, que partilhavam os lucros dos empreendimentos comerciais. As navegações portuguesas.
    4 questão - Como vimos, Portugal foi o primeiro país a empreender sistematicamente a navegação atlântica. Mesmo antes do bloqueio do Mediterrâneo pelos turcos, os portugueses já haviam iniciado a exploração pelas costas da África.

    ResponderExcluir
  4. CONTINUAÇÃO: (Wictória Melo)
    5.1 questão - Desde 1492 foi devastador o impacto das novas doenças em populações desprovidas de qualquer imunidade natural, sobretudo no continente americano, e representou uma das causas do maior genocídio ocorrido em toda a história da espécie humana. Uma das principais causas, certamente. Muitos historiadores, porém, consideram que a ênfase exclusiva nesse fator, derivado de um fenômeno então incoercível (ou seja, a relação entre microorganismos e defesas biológicas humanas), obscurece as demais causas responsáveis pelo extermínio. Causas que devem se buscar na perda da identidade, de segurança e de poder dos povos do novo mundo, e portanto no extermínio deliberado, no trabalho escravo e mortífero das minas, na ruptura de equilíbrios alimentares e no colapso psicológico e cultural que reduziu a resistência às doenças e causou até mesmo epidemias de suicídio.
    5.2 questão: A partir do século XVI realizou-se, portanto, a unificação microbiana do mundo. Mas haviam de passar três séculos antes de a humanidade (povos, governos, cultura e ciência) tomar consciência dos riscos comuns, afirmar a existência de direitos fundamentais de todos os seres humanos e começar a combater esses riscos com empenho que ultrapassou fronteiras.

    ResponderExcluir
  5. Ana Beatriz Teles Oliveira. 8º ano6 de fevereiro de 2013 13:57

    1- Ano passado, estudamos o MERCANTILISMO. Caracterize-o.
    R:Mercantilismo foi o conjunto de práticas econômicas praticadas na Europa na Idade Moderna.
    Entre o século XV e o final do século XVIII, a Europa passou por grandes transformações. O mundo medieval havia sofrido grandes transformações, sendo substituído por novas organizações políticas, econômicas e culturais. O advento das grandes navegações foi fundamental para modificar as noções de mundo dos povos europeus, que passaram a usufruir ao máximo de seus recursos. Assim, a economia recebeu novas características com o objetivo de enriquecimento dos Estados Nacionais Modernos.O Mercantilismo é a prática econômica típica da Idade Moderna e é marcado, sobretudo, pela intervenção do Estado na economia. Durante aproximadamente três séculos foi a prática econômica principal adotada pelos países europeus, o que só seria quebrado com o questionamento sobre a interferência do Estado na economia e o consequente advento das ideias liberais. Em resumo, o Mercantilismo era o conjunto de ideias econômicas que considerava a riqueza do Estado baseada na quantidade de capital que teriam guardado em seus cofres.Três medidas básicas faziam parte do Mercantilismo, eram elas: o bulionismo ou metalismo, o colbertismo ou balança comercial favorável e o mercantilismo comercial e marítimo.

    2- Caracterize os povos: MAIAS, ASTECAS E INCAS.
    Os Astecas:Povos guerreiros que habitavam a região do atual México. Desenvolveram muito as técnicas agrícolas, construindo obras de drenagem e as chinampas (ilhas de cultivo), onde plantavam e colhiam milho, pimenta, tomate, cacau etc. As sementes de cacau, por exemplo, eram usadas como moedas por este povo. O artesanato a era riquíssimo, destacando-se a confecção de tecidos, objetos de ouro e prata e artigos com pinturas. A religião era politeísta, pois cultuavam diversos deuses da natureza (deus Sol, Lua, Trovão, Chuva) e uma deusa representada por uma Serpente Emplumada. A escrita era representada por desenhos e símbolos. Desenvolveram diversos conceitos matemáticos e de astronomia. Na arquitetura, construíram enormes pirâmides.

    Os Incas:Habitavam a região da Cordilheira dos Andes no Peru. A capital do império inca, Cuzco, era uma cidade tão grande quanto os maiores centros da Europa. A agricultura dos incas era extremamente desenvolvida e planejada. Eles fizeram terraços nas montanhas, onde plantavam os alimentos, e desenvolveram um sistema de irrigação, puxando água dos rios para as plantações, uma prática utilizada até hoje. Os incas eram também artistas que faziam peças de cerâmica, colares de ouro e prata, roupas sofisticadas e tapetes de tecidos delicados. O império era ligado por diversas estradas e pontes sobre os despenhadeiros dos Andes, e incluía também territórios no Equador, na Bolívia e no Chile. Guerras internas enfraqueceram o incrível império, abrindo uma brecha para o domínio espanhol.

    Os Maias:
    A civilização maia viveu durante mais de mil anos, entre os séculos V a.C. e VI d.C., na América Central. A partir de então migraram para o norte, para o centro da península de Yuacatán, no México. Ali, no século 12, os maias ergueram Chichen Itzá. Na cidade morava a nobreza da civilização maia: os dirigentes, governantes e também líderes religiosos.
    Os maias desenvolveram uma apurada técnica de observação do céu e dos astros. Seus cálculos previam os eclipses do sol e as órbitas dos planetas. Esse conhecimento era sagrado para as decisões dos imperadores, e regulava também a agricultura dos maias.



    ResponderExcluir
  6. [CONTINUAÇÃO]Ana Beatriz Teles Oliveira 8 ºano6 de fevereiro de 2013 13:59

    3- Quais os fatores que impulsionaram as Grandes Navegações?
    As grandes navegações foram um conjunto de viagens marítimas que expandiram os limites do mundo conhecido até então. Mares nunca antes navegados, terras, povos, flora e fauna começaram a ser descobertas pelos europeus. O motivo poderoso que fez alguns europeus desafiar o desconhecido, enfrentando medo, foi a necessidade de encontrar um novo caminho para se chegar às regiões produtoras de especiarias, de sedas, de porcelana, de ouro, enfim, da riqueza.Outros fatores favoreceram a concretização desse objetivo:• Comerciantes e reis aliados já estavam se organizando para isso com capitais e estruturando o comércio internacional;•Histórias como a de Marcopolo e Prestes João aguçavam a imaginação e o espírito de aventura.E outros.

    4- Por que Portugal foi pioneiro nas Grandes Navegações?
    Portugal, conhecedor de que as Índias (como genericamente era chamado o Oriente), ficava a Leste, decidiu navegar nessa direção, contornando os obstáculos que fossem surgindo. Optou pelo Ciclo Oriental.
    5.1 - Qual a relação entre a descoberta da América e a globalização das doenças no mundo?
    Foi devastador o impacto de doenças nas populações do continente americano, representou uma das causas do maior genocídio ocorrido em toda a história da espécie humana.Uma das principais causas . Muitos historiadores, consideram que a ênfase exclusiva nesse fator, derivado de um fenômeno então incoercível (ou seja, a relação entre microorganismos e defesas biológicas humanas), obscurece as demais causas responsáveis pelo extermínio.Causas que devem se buscar na perda da identidade, de segurança e de poder dos povos do novo mundo, e portanto no extermínio deliberado, no trabalho escravo e mortífero das minas, na ruptura de equilíbrios alimentares e no colapso psicológico e cultural .

    5.2- Quais as consequências desse choque epidemiológico para a América?
    O acontecimento epidemiológico mais relevante na história do dengue nas Américas é a epidemia de dengue hemorrágico e síndrome de choque do dengue. Mas haviam de passar três séculos antes de a humanidade (povos, governos, cultura e ciência) tomar consciência dos riscos comuns, afirmar a existência de direitos fundamentais de todos os seres humanos e começar a combater esses riscos com empenho que ultrapassou fronteiras.

    ResponderExcluir
  7. Fatima Santos De Souza,8ºano,Instituto Frei João Pedro De Sexto6 de fevereiro de 2013 14:26

    1-Mercantilismo é o sistema econômico baseado no mercado. Mercantilismo é o nome dado a um conjunto de práticas econômicas desenvolvido na Europa na Idade Moderna, entre o século XV e o final do século XVIII. O mercantilismo originou um conjunto de medidas econômicas diversas de acordo com os Estados. Caracterizou-se por uma forte intervenção do Estado na economia. Consistiu numa série de medidas tendentes a unificar o mercado interno e teve como finalidade a formação de fortes Estados-nacionais.
    Características:Metalismo : o ouro e a prata eram metais que deixavam uma nação muito rica e poderosa, portanto os governantes faziam de tudo para acumular estes metais.
    Industrialização : o governo estimulava o desenvolvimento de indústrias em seus territórios. Como o produto industrializado era mais caro do que matérias-primas ou gêneros agrícolas, exportar manufaturados era certeza de bons lucros.
    Protecionismo Alfandegário : os reis criavam impostos e taxas para evitar ao máximo a entrada de produtos vindos do exterior. Era uma forma de estimular a indústria nacional e também evitar a saída de moedas para outros países.
    Pacto Colonial : as colônias européias deveriam fazer comércio apenas com suas metrópoles. Era uma garantia de vender caro e comprar barato, obtendo ainda produtos não encontrados na Europa. Dentro deste contexto histórico ocorreu o ciclo econômico do açúcar no Brasil Colonial.
    Balança Comercial Favorável: o esforço era para exportar mais do que importar, desta forma entraria mais moedas do que sairia, deixando o país em boa situação financeira.
    2-Maias:A religião deste povo era politeísta, pois acreditavam em vários deuses ligados à natureza. Elaboraram um eficiente e complexo calendário que estabelecia com exatidão os 365 dias do ano.
    Astecas:A religião era politeísta, pois cultuavam diversos deuses da natureza (deus Sol, Lua, Trovão, Chuva) e uma deusa representada por uma Serpente Emplumada. A escrita era representada por desenhos e símbolos. O calendário maia foi utilizado com modificações pelos astecas. Desenvolveram diversos conceitos matemáticos e de astronomia.
    Incas:A religião tinha como principal deus o Sol (deus Inti). Porém, cultuavam também animais considerados sagrados como o condor e o jaguar. Acreditavam num criador antepassado chamado Viracocha (criador de tudo).
    3-Os fatores que impusionaram as grandes navegaçoes foi a busca por terras novas riquezas como ouro e livre comercio pelo mar.

    ResponderExcluir
  8. Fatima Santos De Souza,8ºano,Instituto Frei João Pedro De Sexto6 de fevereiro de 2013 14:31

    Continuação:4-Portugal foi o pioneiro nas navegações dos séculos XV e XVI devido a uma série de condições encontradas neste país ibérico. A grande experiência em navegações, principalmente da pesca de bacalhau, ajudou muito Portugal. As caravelas, principal meio de transporte marítimo e comercial do período, eram desenvolvidas com qualidade superior à de outras nações. Portugal contou com uma quantidade significativa de investimentos de capital vindos da burguesia e também da nobreza, interessadas nos lucros que este negócio poderia gerar. Neste país também houve a preocupação com os estudos náuticos, pois os portugueses chegaram a criar até mesmo uma centro de estudos.
    5.1-Devastador o impacto das novas doenças em populações desprovidas de qualquer imunidade natural, sobretudo no continente americano, e representou uma das causas do maior genocídio ocorrido em toda a história da espécie humana. Uma das principais causas, certamente. Muitos historiadores, porém, consideram que a ênfase exclusiva nesse fator, derivado de um fenômeno então incoercível (ou seja, a relação entre microorganismos e defesas biológicas humanas), obscurece as demais causas responsáveis pelo extermínio. Causas que devem se buscar na perda da identidade, de segurança e de poder dos povos do novo mundo, e portanto no extermínio deliberado, no trabalho escravo e mortífero das minas, na ruptura de equilíbrios alimentares e no colapso psicológico e cultural que reduziu a resistência às doenças e causou até mesmo epidemias de suicídio.
    5.2-Realizou-se, portanto, a unificação microbiana do mundo. Mas haviam de passar três séculos antes de a humanidade (povos, governos, cultura e ciência) tomar consciência dos riscos comuns, afirmar a existência de direitos fundamentais de todos os seres humanos e começar a combater esses riscos com empenho que ultrapassou fronteiras.

    ResponderExcluir
  9. Denilson Nascimento de paulo6 de fevereiro de 2013 15:20

    1-Podemos definir o mercantilismo como sendo a política econômica adotada na Europa durante o Antigo Regime. Como já dissemos, o governo absolutista interferia muito na economia dos países. O objetivo principal destes governos era alcançar o máximo possível de desenvolvimento econômico, através do acúmulo de riquezas. Quanto maior a quantidade de riquezas dentro de um reino, maior seria seu prestígio, poder e respeito internacional.
    2-ASTECAS:
    habitaram a regiao do atual mexico,essa populaçao era formada por sacerdotes,chefes militares,camponeses e artesaos,eles desenvolveram conceitos matematicos e astronomicos,religiao:politeista.
    INCAS:habitavam a regiao das cordilheiras do andes,onde hj é a america do sul,o imperador deles era o Sapa inca,nessa sociedade existiam tres classes:nobres,medios e baixos,arquitetura:muito mais desenvolvida em comparaçao aos astecas e aos maias.
    Os maias nunca chegaram a formar um império unificado, fato que favoreceu a invasão e domínio de outros povos vizinhos. As cidades formavam o núcleo de decisões e práticas políticas e religiosas da civilização e eram governadas por um estado teocrático.O império maia era considerado um representante dos deuses no Planeta Terra. A zona urbana era habitada apenas pelos nobres (família real), sacerdotes (responsáveis pelos cultos e conhecimentos), chefes militares e administradores do império (cobradores de impostos). Os camponeses, que formavam a base da sociedade, artesão e trabalhadores urbanos faziam parte das camadas menos privilegiadas e tinham que pagar altos impostos.

    A economia era baseada na agricultura, principalmente de milho, feijão e tubérculos. Suas técnicas de irrigação do solo eram muito avançadas para a época. Praticavam o comércio de mercadorias com povos vizinhos e no interior do império.
    Ergueram pirâmides, templos e palácios, demonstrando um grande avanço arquitetônico. O artesanato também se destacou: fiação de tecidos, uso de tintas em tecidos e roupas.

    A religião deste povo era politeísta, pois acreditavam em vários deuses ligados à natureza. Elaboraram um eficiente e complexo calendário que estabelecia com exatidão os 365 dias do ano.

    Assim como os egípcios, usaram uma escrita baseada em símbolos e desenhos (hieróglifos). Registravam acontecimentos, datas, contagem de impostos e colheitas, guerras e outros dados importantes.
    Desenvolveram muito a matemática, com destaque para a invenção das casas decimais e o valor zero.
    3-Quais os fatores que impulsionaram as Grandes Navegações?
    4-Portugal foi o pioneiro nas navegações dos séculos XV e XVI devido a uma série de condições encontradas neste país ibérico. A grande experiência em navegações, principalmente da pesca de bacalhau, ajudou muito Portugal. As caravelas, principal meio de transporte marítimo e comercial do período, eram desenvolvidas com qualidade superior à de outras nações. Portugal contou com uma quantidade significativa de investimentos de capital vindos da burguesia e também da nobreza, interessadas nos lucros que este negócio poderia gerar. Neste país também houve a preocupação com os estudos náuticos, pois os portugueses chegaram a criar até mesmo uma centro de estudos : A Escola de Sagres.

    ResponderExcluir
  10. Denilson Nascimento de paulo6 de fevereiro de 2013 15:24

    5.1-A globalização das doenças, ou seja, a difusão dos mesmos quadros mórbidos por todas as partes do mundo começou no ano de 1492, com a descoberta (ou conquista) da América, que assinalou, para povos e doenças, a passagem da separação à comunicação. Antes disso, diferentes condições de ambiente, de nutrição, de organização social e cultural, de presença ou ausência de agentes e de vetores biológicos das doenças transmissíveis haviam criado quadros epidemiológicos muito desiguais, no velho e no novo mundo.
    5.2-Nas Américas, por exemplo, não existiam varíola, sarampo, febre-amarela, ao passo que na Eurásia e na África não havia sífilis. A sífilis manifestou-se de forma epidêmica, pela primeira vez no velho mundo, em 1495, com a conquista de Nápoles pelas tropas francesas de Carlos VIII. Os italianos por isso a chamaram de mal francês, enquanto os franceses, de mal napolitano. Quando chegou ao Oriente, os japoneses a denominaram de mal português e a estigmatização foi assim por diante. A tendência a culpar outros pelas epidemias é constante na história. Os judeus foram acusados de introduzir a peste negra na Europa; os irlandeses, de introduzir o cólera em Nova York; os italianos, a poliomielite no Brooklyn. E deve-se lembrar que a primeira definição da aids, formulada pelo Center for Disease Control (CDC) de Atlanta ao identificar a doença, foi a seguinte: imunodeficiência adquirida dos homossexuais.

    ResponderExcluir
  11. 1-O mercantilismo buscava exportar mais do que importa.
    -proteger o mercardo interno.
    -acumulação de metais preciosos afim de gter muita riqueza nacional.
    -garantia nos manopólios comerciais em benefício do estado.
    -esploração
    das colônias a fim de se garantir balança comercial favorável. Aqui as colônias só poderiam negociar com a metrópole colonizadora.
    O Mercantilismo foi a política econômica utilizada pelos países europeus durante a Idade Moderna (1453 a 1789).
    2:ASTECAS:Povo dedicado à guerra, os astecas habitaram a região do atual México entre os séculos XIV e XVI. Fundaram no século XIV a importante cidade de Tenochtitlán (atual Cidade do México), numa área de pântanos, próxima do lago Texcoco.A sociedade era hierarquizada (dividida em camadas bem definidas) e comandada por um imperador, chefe do exército. A nobreza era também formada por sacerdotes e chefes militares. Os camponeses, artesãos e trabalhadores urbanos compunham grande parte da população. Esta camada mais baixa da sociedade era obrigada a exercer um trabalho compulsório para o imperador, quando este os convocava para trabalhos em obras públicas (canais de irrigação, estradas, templos, pirâmides).Durante o governo do imperador Montezuma II (início do século XVI), o império asteca chegou a ser formado por aproximadamente 500 cidades, que pagavam altos impostos para o imperador. O império começou a ser destruído em 1519 com as invasões espanholas. Os espanhóis dominaram os astecas e tomaram grande parte dos objetos de ouro desta civilização. Não satisfeitos, ainda escravizaram os astecas, forçando-os a trabalharem nas minas de ouro e prata da região.
    MAIAS:A civilização maia habitou a região das florestas tropicais das atuais Guatemala, Honduras e Península de Yucatán (sul do atual México). Este povo nestas regiões entre os séculos IV a.C e IX a.C. Entre os séculos IX e X , os toltecas invadiram essas regiões e dominaram a civilização maia.Nunca chegaram a formar um império unificado, fato que favoreceu a invasão e domínio de outros povos vizinhos. As cidades formavam o núcleo de decisões e práticas políticas e religiosas da civilização e eram governadas por um estado teocrático.O império maia era considerado um representante dos deuses no Planeta Terra. A zona urbana era habitada apenas pelos nobres (família real), sacerdotes (responsáveis pelos cultos e conhecimentos), chefes militares e administradores do império (cobradores de impostos). Os camponeses, que formavam a base da sociedade, artesão e trabalhadores urbanos faziam parte das camadas menos privilegiadas e tinham que pagar altos impostos.
    INCAS:A Civilização Inca desenvolveu-se na região da Cordilheira dos Andes (América do Sul ) nos atuais Peru, Bolívia, Chile e Equador. Fundaram no século XIII a capital do império: a cidade sagrada de Cusco. Foram conquistados e dominados pelos espanhóis no ano de 1532.O imperador, conhecido por Sapa Inca, era considerado um deus na Terra. A sociedade era extremamente hierarquizada e formada por: nobres ( governantes, chefes militares, juízes e sacerdotes), camada média ( funcionários públicos e trabalhadores especializados) e classe mais baixa (artesãos e os camponeses). Esta última camada pagava altos tributos ao rei em mercadorias ou com trabalhos em obras públicas.
    3-As grandes navegações foram um conjunto de viagens marítimas que expandiram os limites do mundo conhecido até então. Mares nunca antes navegados, terras, povos, flora e fauna começaram a ser descobertas pelos europeus. E muitas crenças passadas de geração a geração, foram conferidas, confirmadas, ou desmentidas. Eram crenças de que os oceanos eram povoados por animais gigantescos ou que em outros lugares habitavam seres estranhos e perigosos. Ou que a terra poderia acabar a qualquer momento no meio do oceano, o que faria os navios caírem no nada. O motivo poderoso que fez alguns europeus desafiar o desconhecido, enfrentando medo, foi a necessidade de encontrar um novo caminho para se chegar às regiões produtoras de especiarias, de sedas, de porcelana, de ouro, enfim, da riqueza.









    ResponderExcluir
  12. continuação das respostas da vladia alves7 de fevereiro de 2013 13:36

    4:Portugal, conhecedor de que as Índias (como genericamente era chamado o Oriente), ficava a Leste, decidiu navegar nessa direção, contornando os obstáculos que fossem surgindo. Optou pelo Ciclo Oriental.
    5.1:quando a america foi fdescoberta ela troxe varias doenças como :variola,sarampo e febre amarela,antes nao se encontrava essa doenças mas quando a descobriram essas doenças apareceram.
    5.2:tiveram muitas mortes com essas doenças.
    vladia do nascimento alves.
    instituto frei joao pedro de sexto
    8 ano

    ResponderExcluir
  13. Vinícius de souza lima 8º ano I.F.J.P.S7 de fevereiro de 2013 17:33

    1- Ano passado, estudamos o MERCANTILISMO. Caracterize-o.
    Pode-se dizer que o mercantilismo foi um conjunto de práticas econômicas adotadas pelos Estados Nacionais durante o período do século XV até o século XVIII.No mercantilismo o objetivo principal era o máximo de desenvolvimento econômico, que ocorria através do acúmulo de riquezas,principalmente devido a forma de governo absolutista, que interferia de forma significativa na economia dos países.Outra importante característica do mercantilismo era a existência de monopólios comerciais. Além disso as práticas mercantilistas variaram de forma significativa no tempo e no espaço em que estavam,sendo que cada país priorizava o setor mercantilista que lhe parecia mais estratégico.As práticas mercantilistas eram:
    Metalismo:Também conhecida como bulionismo, era a ideia de riqueza econômica através da quantificação de metais preciosos.
    Protecionismo Alfandegário:Era a criação de taxas e impostos (por meio dos reis)para evitar a entrada de produtos vindos do exterior.Assim estimulando a industria nacional e impedindo a saída de riquezas para outro país.
    Industrialização:Os governos estimulavam o crescimento de industrias em seus territórios, fazendo com que os preços dos produtos industrializados que eram mais caros os desse certeza de bons lucros durante a exportação.
    Pacto colonial:As colônias europeias deveriam fazer acordos comerciais apenas com suas metrópoles, dando assim uma garantia de vender caro e comprar barato, obtendo também produtos não encontrados na Europa.
    Balança comercial favorável:Era um esforço feito pelos países para exportar mais do que importavam, evitando a saída de moedas do país e aumentando a entrada da mesma.
    2- Caracterize os povos: MAIAS, ASTECAS E INCAS.
    Maias:Foram uma civilização mesoamericana pré-colombiana que habitaram as regiões das florestas tropicais das atuais Guatemala,Honduras e Vale do Yucatán. Não possuíam um sistema de governo unificado,as cidades eram governadas por um estado teocrático, tinham um sistema de escrita baseada em desenhos e símbolos(semelhantes a hieróglifos), possuíam grande conhecimento matemático, chegando a criar um sistema de casas decimais e o zero, possuíam uma economia baseada na agricultura, eram politeístas, pois acreditavam em deuses ligados a natureza.
    Astecas:Viveram na atual região do México entre os séculos XIV e XVI,eram um povo politeísta, por acreditarem na existência de diversos deuses da natureza, incluindo uma serpente emplumada;tinham um sistema de governo imperial, juntamente com uma hierarquia sobre o império;na agricultura os astecas eram bem desenvolvidos, com diversas técnicas agrícolas, inclusive com a criação de chinampas e obras de drenagem;possuíam um riquíssimo artesanato com a confecção de tecidos;faziam sacrifícios humanos, possuíam uma arquitetura com grandes pirâmides,além de desenvolverem diversos conceitos matemáticos e astronômicos.
    Incas:Desenvolveram-se na atual região conhecida como Cordilheira dos Andes, possuíam um sistema de governo imperial hierarquizado,tinham uma arquitetura formada por blocos de pedra encaixados que construíam os mais diversos tipos de casas,tinha uma agricultura extremamente desenvolvida com os chamados terraços e canais de irrigação, domesticaram a lhama com o objetivo da extração de lã,carne e leite desse animal além de servir como transporte,eram politeístas, pois cultuavam o sol e alguns animais além de Viracocha(criador de tudo), tinham o quipo como sistema de contagem e não possuíam um sistema de escrita.

    ResponderExcluir
  14. Vinícius de souza lima 8º ano I.F.J.P.S7 de fevereiro de 2013 17:35

    (CONTINUAÇÃO DAS RESPOSTAS DE VINICIUS DE SOUZA LIMA)
    3- Quais os fatores que impulsionaram as Grandes Navegações?
    O fator econômico, pois com as grandes navegações surgiu a oportunidade de suprir a necessidade de baratear os preços das especiarias, com eliminação de intermediários, a procura de novos centros fornecedores de matéria prima e de mercados consumidores, a busca de metais preciosos,foram motivos suficientemente grandes para que os navegadores se lançarem ao mar com suas caravelas.
    4- Por que Portugal foi pioneiro nas Grandes Navegações?
    Alguns fatores ajudaram Portugal a ser o pioneiro das grandes navegações, entre eles estão:Portugal foi o primeiro estado nacional europeu com governo centralizado, possibilitando assim que como havia somente uma pessoa no "comando" fosse bem mais fácil tomar as decisões sobre as grandes navegações antes que outros países;Portugal é um país projetado em direção ao Oceano Atlântico e ao norte da África;os pescadores portugueses já possuíam um grande conhecimento náutico, criando assim a mão de obra necessária para as grandes navegações.
    5- 5.1:Qual a relação entre a descoberta da América e a globalização das doenças no mundo?
    A globalização das doenças, ou seja, a difusão dos mesmos quadros mórbidos por todas as partes do mundo começou no ano de 1492, com a descoberta (ou conquista) da América, que assinalou, para povos e doenças, a passagem da separação à comunicação. Antes disso, diferentes condições de ambiente, de nutrição, de organização social e cultural, de presença ou ausência de agentes e de vetores biológicos das doenças transmissíveis haviam criado quadros epidemiológicos muito desiguais, no velho e no novo mundo.
    5.2:Quais as consequências desse choque epidemiológico para a América?
    Desde 1492 foi devastador o impacto das novas doenças em populações desprovidas de qualquer imunidade natural, sobretudo no continente americano, e representou uma das causas do maior genocídio ocorrido em toda a história da espécie humana. Uma das principais causas, certamente. Muitos historiadores, porém, consideram que a ênfase exclusiva nesse fator, derivado de um fenômeno então incoercível (ou seja, a relação entre microrganismos e defesas biológicas humanas), obscurece as demais causas responsáveis pelo extermínio. Causas que devem se buscar na perda da identidade, de segurança e de poder dos povos do novo mundo, e portanto no extermínio deliberado, no trabalho escravo e mortífero das minas, na ruptura de equilíbrios alimentares e no colapso psicológico e cultural que reduziu a resistência às doenças e causou até mesmo epidemias de suicídio.

    ResponderExcluir
  15. Hemily Pereira Neres 8º ano ifjps :), ;)7 de fevereiro de 2013 23:52

    1) Ano passado, estudamos o MERCANTILISMO. Caracterize-o.
    O Mercantilismo é a prática econômica típica da Idade Moderna e é marcado, sobretudo, pela intervenção do Estado na economia. Durante aproximadamente três séculos foi a prática econômica principal adotada pelos países europeus, o que só seria quebrado com o questionamento sobre a interferência do Estado na economia e o consequente advento das ideias liberais. Em resumo, o Mercantilismo era o conjunto de ideias econômicas que considerava a riqueza do Estado baseada na quantidade de capital que teriam guardado em seus cofres.
    O Mercantilismo foi a política econômica utilizada pelos países europeus durante a Idade Moderna (1453 a 1789).
    O principal ponto desta política era o fortalecimento do Estado por meio de forte intervenção estatal na economia.
    Metalismo : O ouro e a prata eram metais que deixavam uma nação muito rica e poderosa, portanto os governantes faziam de tudo para acumular estes metais. Além do comércio externo, que trazia moedas para a economia interna do país, a exploração de territórios conquistados era incentivada neste período. Foi dentro deste contexto histórico, que a Espanha explorou toneladas de ouro das sociedades indígenas da América como, por exemplo, os maias, incas e astecas.
    Industrialização : O governo estimulava o desenvolvimento de indústrias em seus territórios. Como o produto industrializado era mais caro do que matérias-primas ou gêneros agrícolas, exportar manufaturados era certeza de bons lucros.
    Protecionismo Alfandegário: Os reis criavam impostos e taxas para evitar ao máximo a entrada de produtos vindos do exterior. Era uma forma de estimular a indústria nacional e também evitar a saída de moedas para outros países.
    Pacto Colonial: As colônias européias deveriam fazer comércio apenas com suas metrópoles. Era uma garantia de vender caro e comprar barato, obtendo ainda produtos não encontrados na Europa. Dentro deste contexto histórico ocorreu o ciclo econômico do açúcar no Brasil Colonial.
    Balança Comercial Favorável: O esforço era para exportar mais do que importar, desta forma entraria mais moedas do que sairia, deixando o país em boa situação financeira.














    ResponderExcluir
  16. Hemily Pereira Neres 8º ano ifjps :), ;)8 de fevereiro de 2013 00:50

    2) Caracterize os povos: MAIAS, ASTECAS E INCAS.
    Maias: A civilização maia habitou a região das florestas tropicais das atuais Guatemala, Honduras e Península de Yucatán (sul do atual México). Este povo nestas regiões entre os séculos IV a.C e IX a.C. Entre os séculos IX e X , os toltecas invadiram essas regiões e dominaram a civilização maia.O império maia era considerado um representante dos deuses no Planeta Terra. A zona urbana era habitada apenas pelos nobres (família real), sacerdotes (responsáveis pelos cultos e conhecimentos), chefes militares e administradores do império (cobradores de impostos). Os camponeses, que formavam a base da sociedade, artesão e trabalhadores urbanos faziam parte das camadas menos privilegiadas e tinham que pagar altos impostos. A economia era baseada na agricultura, principalmente de milho, feijão e tubérculos. Suas técnicas de irrigação do solo eram muito avançadas para a época. Ergueram pirâmides, templos e palácios, demonstrando um grande avanço arquitetônico. O artesanato também se destacou: fiação de tecidos, uso de tintas em tecidos e roupas.A religião deste povo era politeísta, pois acreditavam em vários deuses ligados à natureza. Assim como os egípcios, usaram uma escrita baseada em símbolos e desenhos (hieróglifos). Desenvolveram muito a matemática, com destaque para a invenção das casas decimais e o valor zero.
    Astecas: Povo dedicado à guerra, os astecas habitaram a região do atual México entre os séculos XIV e XVI. Fundaram no século XIV a importante cidade de Tenochtitlán (atual Cidade do México), numa área de pântanos, próxima do lago Texcoco.Os astecas desenvolveram muito as técnicas agrícolas, construindo obras de drenagem e as chinampas (ilhas de cultivo), onde plantavam e colhiam milho, pimenta, tomate, cacau etc. As sementes de cacau, eram usadas como moedas por este povo.O artesanato a era riquíssimo, destacando-se a confecção de tecidos, objetos de ouro e prata e artigos com pinturas. A religião era politeísta, pois cultuavam diversos deuses da natureza (deus Sol, Lua, Trovão, Chuva) e uma deusa representada por uma Serpente Emplumada. A escrita era representada por desenhos e símbolos. O calendário maia foi utilizado com modificações pelos astecas. Desenvolveram diversos conceitos matemáticos e de astronomia.Na arquitetura, construíram enormes pirâmides utilizadas para cultos religiosos e sacrifícios humanos. Acreditavam, que com os sacrifícios, poderiam deixar os deuses mais calmos e felizes.
    Incas: A sociedade inca desenvolveu-se a partir do século XII, na cordilheira dos Andes na América do Sul, englobando uma série de povos assimilados no decorrer de um longo processo.No século XIV, em seu auge, encontravam-se sob poder inca cerca de 20 milhões de pessoas, espalhadas por um vasto território, que englobava terras dos atuais Peru, Equador, Bolívia e norte do Chile.
    O imperador, conhecido por Sapa Inca, era considerado um deus na Terra. A sociedade era extremamente hierarquizada e formada por: nobres, camada média e classe mais baixa (artesãos e os camponeses). Na arquitetura, desenvolveram várias construções com enormes blocos de pedras encaixadas, como templos, casas e palácios. A agricultura era extremamente desenvolvida, pois plantavam nos chamados terraços (degraus formados nas costas das montanhas). Plantavam e colhiam feijão, milho (alimento sagrado) e batata. Construíram canais de irrigação, desviando o curso dos rios para as aldeias. Domesticaram a lhama (animal da família do camelo) e utilizaram como meio de transporte, além de retirar a lã , carne e leite deste animal. A religião tinha como principal deus o Sol (deus Inti ). Porém, cultuavam também animais considerados sagrados como o condor e o jaguar. Mesmo com todo desenvolvimento, este povo não desenvolveu um sistema de escrita.

    ResponderExcluir
  17. Hemily Pereira Neres 8º ano ifjps :), ;)8 de fevereiro de 2013 00:53

    3) Quais os fatores que impulsionaram as Grandes Navegações?
    Vários fatores contribuíram para as Grandes Navegações.Como: A necessidade de baratear os preços das especiarias, com eliminação de intermediários, a procura de novos centros fornecedores de matérias-primas e de mercados consumidores, a busca de metais preciosos, cuja descoberta acalentava os sonhos dos aventureiros, foram motivos suficientemente fortes para os navegadores colocarem as caravelas no mar e partirem em direção aos desconhecido.As grandes navegações foram um conjunto de viagens marítimas que expandiram os limites do mundo conhecido até então. Mares nunca antes navegados, terras, povos, flora e fauna começaram a ser descobertas pelos europeus.

    4) Por que Portugal foi pioneiro nas Grandes Navegações?
    Por que Portugal foi o primeiro país a empreender as Grandes Navegações. Com isso, os portugueses saíram na frente na corrida por colônias, metais preciosos, especiarias e escravos.
    Portugal foi o pioneiro nas navegações dos séculos XV e XVI devido a uma série de condições encontradas neste país ibérico. A grande experiência em navegações, principalmente da pesca de bacalhau, ajudou muito Portugal. As caravelas, principal meio de transporte marítimo e comercial do período, eram desenvolvidas com qualidade superior à de outras nações. Portugal contou com uma quantidade significativa de investimentos de capital vindos da burguesia e também da nobreza, interessadas nos lucros que este negócio poderia gerar. Navegar nos séculos XV e XVI era uma tarefa muito arriscada, principalmente quando se tratava de mares desconhecidos. Era muito comum o medo gerado pela falta de conhecimento e pela imaginação da época. Muitos acreditavam que o mar pudesse ser habitado por monstros, enquanto outros tinham uma visão da terra como algo plano e, portanto, ao navegar para o "fim" a caravela poderia cair num grande abismo.

    ResponderExcluir
  18. Hemily Pereira Neres 8º ano ifjps :), ;)8 de fevereiro de 2013 00:57

    5) Leia o texto abaixo e responda:

    5.1) Qual a relação entre a descoberta da América e a globalização das doenças no mundo?
    A globalização das doenças, ou seja, a difusão dos mesmos quadros mórbidos por todas as partes do mundo começou no ano de 1492, com a descoberta (ou conquista) da América, que assinalou, para povos e doenças, a passagem da separação à comunicação. Antes disso, diferentes condições de ambiente, de nutrição, de organização social e cultural, de presença ou ausência de agentes e de vetores biológicos das doenças transmissíveis haviam criado quadros epidemiológicos muito desiguais, no velho e no novo mundo.

    5.2) Quais as consequências desse choque epidemiológico para a América?
    Desde 1492 foi devastador o impacto das novas doenças em populações desprovidas de qualquer imunidade natural, sobretudo no continente americano, e representou uma das causas do maior genocídio ocorrido em toda a história da espécie humana. Uma das principais causas, certamente. Muitos historiadores, porém, consideram que a ênfase exclusiva nesse fator, derivado de um fenômeno então incoercível (ou seja, a relação entre microorganismos e defesas biológicas humanas), obscurece as demais causas responsáveis pelo extermínio. Causas que devem se buscar na perda da identidade, de segurança e de poder dos povos do novo mundo, e portanto no extermínio deliberado, no trabalho escravo e mortífero das minas, na ruptura de equilíbrios alimentares e no colapso psicológico e cultural que reduziu a resistência às doenças e causou até mesmo epidemias de suicídio.

    BIBLIOGRAFIA :
    1): www.suapesquisa.com /www.infoescola.com /www.blogodorium.com.br
    2): maias: www.suapesquisa.com /astecas: www.zun.com.br /www.suapesquisa.com /incas: pt.wikipedia.org /www.suapesquisa.com
    3): www.algosobre.com.br /www.infoescola.com /www.brazilsite.com.br
    4):www.suapesquisa.com /oresgatedahistoria.blogspot.com.br /www.brazilsite.com.br

    ResponderExcluir
  19. Julia Maria Porto - 8°ano14 de fevereiro de 2013 15:19

    1)Podemos definir o mercantilismo como sendo a política econômica adotada na Europa durante o Antigo Regime. O governo absolutista interferia muito na economia dos países. O objetivo principal destes governos era alcançar o máximo possível de desenvolvimento econômico, através do acúmulo de riquezas. Quanto maior a quantidade de riquezas dentro de um reino, maior seria seu prestígio, poder e respeito internacional.
    2)A- Maias: Os maias nunca chegaram a formar um império unificado, fato que favoreceu a invasão e domínio de outros povos vizinhos. As cidades formavam o núcleo de decisões e práticas políticas e religiosas da civilização e eram governadas por um estado teocrático.O império maia era considerado um representante dos deuses no Planeta Terra. A zona urbana era habitada apenas pelos nobres (família real), sacerdotes (responsáveis pelos cultos e conhecimentos), chefes militares e administradores do império (cobradores de impostos). Os camponeses, que formavam a base da sociedade, artesão e trabalhadores urbanos faziam parte das camadas menos privilegiadas e tinham que pagar altos impostos.

    A economia era baseada na agricultura, principalmente de milho, feijão e tubérculos. Suas técnicas de irrigação do solo eram muito avançadas para a época. Praticavam o comércio de mercadorias com povos vizinhos e no interior do império.
    Ergueram pirâmides, templos e palácios, demonstrando um grande avanço arquitetônico. O artesanato também se destacou: fiação de tecidos, uso de tintas em tecidos e roupas.

    A religião deste povo era politeísta, pois acreditavam em vários deuses ligados à natureza. Elaboraram um eficiente e complexo calendário que estabelecia com exatidão os 365 dias do ano.

    Assim como os egípcios, usaram uma escrita baseada em símbolos e desenhos (hieróglifos). Registravam acontecimentos, datas, contagem de impostos e colheitas, guerras e outros dados importantes.
    Desenvolveram muito a matemática, com destaque para a invenção das casas decimais e o valor zero.
    B- Astecas: Dentre os três principais povos da América pré-colombiana, os Astecas foram os mais poderosos e desenvolvidos. Eram índios que migraram para o Vale do México, para a ilha do Lago Texcoco. São originários de uma região dos Estados Unidos, onde viviam como nômades.
    Os astecas desenvolveram muito as técnicas agrícolas, construindo obras de drenagem e as chinampas (ilhas de cultivo), onde plantavam e colhiam milho, pimenta, tomate, cacau etc. As sementes de cacau, por exemplo, eram usadas como moedas por este povo.

    O artesanato a era riquíssimo, destacando-se a confecção de tecidos, objetos de ouro e prata e artigos com pinturas. A religião era politeísta, pois cultuavam diversos deuses da natureza (deus Sol, Lua, Trovão, Chuva) e uma deusa representada por uma Serpente Emplumada. A escrita era representada por desenhos e símbolos. O calendário maia foi utilizado com modificações pelos astecas. Desenvolveram diversos conceitos matemáticos e de astronomia.

    Na arquitetura, construíram enormes pirâmides utilizadas para cultos religiosos e sacrifícios humanos. Estes, eram realizados em datas específicas em homenagem aos deuses. Acreditavam, que com os sacrifícios, poderiam deixar os deuses mais calmos e felizes.
    C- Incas :construíram grandes cidades de pedras, pavimentavam as ruas, tinham água encanada, desenvolveram a escrita, a matemática, a astronomia, a irrigação na agricultura onde cultivavam principalmente o milho, criavam animais doméstico como a Lhama e o cachorro, trabalhavam a fundição de metais e extração de ouro e prata.

    - A religião era caracterizada pelo culto ao Deus Sol e sacrifícios humanos (prisioneiros de guerra ou moças virgens).

    ResponderExcluir
  20. Julia Maria Porto - 8°ano I.F.J.P.S14 de fevereiro de 2013 15:22

    Continuação:3)Os fatores que impulsionaram as grandes navegações foi a busca por terras novas riquezas como ouro e livre comercio pelo mar.
    4)Portugal foi o pioneiro nas navegações dos séculos XV e XVI devido a uma série de condições encontradas neste país ibérico. A grande experiência em navegações, principalmente da pesca de bacalhau, ajudou muito Portugal. As caravelas, principal meio de transporte marítimo e comercial do período, eram desenvolvidas com qualidade superior à de outras nações. Portugal contou com uma quantidade significativa de investimentos de capital vindos da burguesia e também da nobreza, interessadas nos lucros que este negócio poderia gerar. Neste país também houve a preocupação com os estudos náuticos, pois os portugueses chegaram a criar até mesmo uma centro de estudos : A Escola de Sagres.
    5.1)Os descobridores traziam os virus das doenças que eles ja eram imunes para esses povos que acabavam contraindo essas doenças ,e esses povos passavam as doenças deles para os descobridores de modo que passassem para todos de seu bairro de sua cidade e ate de seu pais.
    5.2)Desde 1492 foi devastador o impacto das novas doenças em populações desprovidas de qualquer imunidade natural, sobretudo no continente americano, e representou uma das causas do maior genocídio ocorrido em toda a história da espécie humana. Uma das principais causas, certamente. Muitos historiadores, porém, consideram que a ênfase exclusiva nesse fator, derivado de um fenômeno então incoercível (ou seja, a relação entre microorganismos e defesas biológicas humanas), obscurece as demais causas responsáveis pelo extermínio. Causas que devem se buscar na perda da identidade, de segurança e de poder dos povos do novo mundo, e portanto no extermínio deliberado, no trabalho escravo e mortífero das minas, na ruptura de equilíbrios alimentares e no colapso psicológico e cultural que reduziu a resistência às doenças e causou até mesmo epidemias de suicídio.

    ResponderExcluir
  21. isabel e adiciona no skype
    ynara1cristina

    ResponderExcluir
  22. Hemily Pereira Neres 8º ano ifjps : )25 de fevereiro de 2013 20:57

    pesquisa de historia
    A FUNDAÇÃO DA ORIGEM CAPUCHINHA
    A ordem surgiu por volta de 1520, quando Matteo da Bascio, originário da região de Marche, na Itália, um Franciscano, se deu conta que a roupa vestida pelos Franciscanos não era do mesmo tipo que a vestida por São Francisco de Assis. Assim, ele fabricou um capuz pontudo, deixou a barba crescer e começou a andar descalço.
    Seus superiores tentaram suprimir essas inovações, mas em 1528 ele obteve o acordo do Papa Clemente VII. Foi-lhe dada a permissão de viver como um eremita e de ir aonde quisesse para rezar pelos pobres. Essas permissões não foram dadas somente a ele, mas também a todos que quisessem se juntar a ele, a fim de restaurar a obediência literal às regras de São Francisco. Matteo logo teve a companhia de outros.
    Os Franciscanos Observantes se opuseram ao movimento, mas os Conventuais o apoiaram, de modo que Matteo e seus companheiros se juntaram em uma congregação que se intitulou Frades Menores Eremitas, como um ramo dos Franciscanos Conventuais, mas com vigário próprio, embora sujeito à jurisdição do Geral dos Conventuais. --> O nome popular de Frade Capuchinho deriva do nome do capuz usado por eles (capucize).

    ResponderExcluir
  23. Hemily Pereira Neres 8º ano ifjps :), ;)11 de março de 2013 20:10

    Pesquisa sobre uma mulher importante:

    DILMA ROUSSEFF

    Dilma é filha do advogado e empreendedor búlgaro naturalizado brasileiro Pedro Rousseff (em búlgaro Петър Русев, Pétar Rússev) e da dona-de-casa Dilma Jane Coimbra Silva. Seu pai, parente distante do escritor Ran Bosilek, manteve estreita amizade com a poetisa búlgara Elisaveta Bagriana, foi filiado ao Partido Comunista da Bulgária e frequentava os círculos literários na década de 1920. Chegou ao Brasil no fim da década de 1930. Deixara sua esposa, dona de casa Evdokia Yankova, esperando um filho em sua terra natal, Luben, morto em 2007, mas mudou-se para Buenos Aires e, anos após, voltou ao Brasil, fixou-se em São Paulo, e prosperou. Em uma viagem a Uberaba conheceu Dilma Jane Coimbra Silva, moça fluminense de Nova Friburgo, professora de vinte anos, criada no interior de Minas Gerais, onde seus pais eram pecuaristas. Casaram-se e fixaram residência em Belo Horizonte, onde tiveram três filhos: Igor, Dilma Vana e Zana Lúcia (morta em 1976). Pedro Roussef trabalhou para a siderúrgica Mannesmann, além de trabalhar com construções e com venda de imóveis. Vencida a resistência inicial da sociedade local contra os estrangeiros, passaram a frequentar os clubes e as escolas mais tradicionais. Incentivada pelo pai, Dilma adquiriu cedo o gosto pela leitura. Falecido em 1962, Pedro Roussef deixou de herança por volta de 15 imóveis de valor.
    De 1952 a 1954, cursou a pré-escola no colégio Izabela Hendrix e a partir de 1955 iniciou o ensino fundamental noColégio Nossa Senhora de Sion (atual Colégio Santa Dorotéia), em Belo Horizonte. Em 1964 prestou concurso e ingressou no Colégio Estadual Central (atual Escola Estadual Governador Milton Campos), ingressando na primeira série do clássico (ensino médio). Nessa escola pública o movimento estudantil era ativo, especialmente por conta dorecente golpe militar. De acordo com ela, foi nesta escola que ficou "bem subversiva" e que percebeu que o mundo não era para "debutante", iniciando sua educação política. Ainda em 1964, ingressou na Política Operária(POLOP), uma organização fundada em 1961, oriunda do Partido Socialista Brasileiro, onde militou ao lado de José Aníbal. Seus militantes logo viram-se divididos em relação ao método a ser utilizado para a implantação do socialismo: enquanto alguns defendiam a luta pela convocação de uma assembleia constituinte, outros preferiam a luta armada. Dilma ficou com o segundo grupo, que deu origem ao Comando de Libertação Nacional (COLINA). Para Apolo Heringer, que foi dirigente do COLINA em 1968 e havia sido professor de Dilma na escola secundária, a jovem fez opção pela luta armada depois que leu Revolução na Revolução, de Régis Debray, um francês que havia se mudado para Cuba e ficara amigo de Fidel Castro. Segundo Heringer, "O livro incendiou todo mundo, inclusive a Dilma".
    Foi nessa época que conheceu Cláudio Galeno de Magalhães Linhares, cinco anos mais velho, que também defendia a luta armada. Galeno ingressara na POLOP em 1962, havia servido no Exército, participara da sublevação dos marinheiros por ocasião do golpe militar e fora preso na Ilha das Cobras. Casaram-se em 1967, apenas no civil, depois de um ano de namoro.

    ResponderExcluir
  24. Cade os exrcicios do 8 ano do serafico suzane

    ResponderExcluir
  25. Denilson Nascimento28 de maio de 2013 15:42

    jovem as revisões são para responder no blog como uma atividade ou foi só para agente pegar?

    ResponderExcluir

Respeite as diferenças. Lembre-se: todos são iguais perante a lei. Preconceito é crime. Seja legal.

Respeite as diferenças. Lembre-se: todos são iguais perante a lei. Preconceito é crime. Seja legal.