quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

VOCÊ SABE O QUE É FAVELA?

A palavra favela que consagrou as habitações da periferia do Rio de Janeiro e, depois, de todo Brasil, tem sua origem numa planta da caatinga existente no Arraial de Canudos. A origem do termo se encontra no episódio histórico conhecido por Guerra de Canudos. A cidadela de Canudos foi construída junto a alguns morros, entre eles o Morro da Favela, assim batizado em virtude de uma planta (chamada de favela) que encobria a região. Alguns dos soldados que foram para a guerra, ao regressarem ao Rio de Janeiro em 1897, deixaram de receber o soldo, instalando-se em construções provisórias erigidas sobre o Morro da Providência. O local passou então a ser designado popularmente Morro da Favela, em referência à "favela" original. O nome favela ficou conhecido e na década de 20, as habitações improvisadas, sem infra-estrutura, que ocupavam os morros passaram a ser chamadas de favelas.  Com a destruição do arraial de resistência de Antônio Conselheiro, em Canudos, muitos dos beatos migraram para o Rio de Janeiro em navios oferecidos pelo poder público, como forma de desativar o foco de resistência. 




A população – principalmente moradora nas Comunidades de Favelas - sente vergonha (?) ao ser chamada de "FAVELADA". Mas no entanto as palavras são inventos sujeitas a mudanças quanto aos significados com o passar dos tempos, de acordo com o nosso avanço em relação às coisas que fazem parte de nossa vida e que são importantes ao nosso bem estar (conscientização).

De estalo a palavra FAVELA nos faz mentalizar imagens miseráveis de barracos maus pintados, casas pálidas, caminhos tortuosos, lugar de gente desvalorizada, onde brancos e negros embriagam-se nas biroscas cantando samba, jogando peladas; nos faz ver gente comendo ratos e gatos, crianças quase nuas de pés descalços nas valas podres.
Porém por um lado da situação, FAVELA é uma planta que pega em qualquer terreno, dos alagados à seca do sertão. Nada a destrói, nem geada, pragas ou insetos.
A favela tornou-se conhecida graças ao cientista brasileiro, Dr. Luiz C. Pimentel, que, há 41 anos atrás, quando fazia um passeio de estudos científico nas regiões vizinhas a Uauá e da antiga região de Canudos (berço das Favelas no Brasil). Nesse passeio, o que o levou a conhecer a FAVELA e a estudá-la com amor durante todo esse tempo pelo mundo afora, foi o fato de ter avistado curioso, um caboclo mascando amêndoas dessa planta que é capaz de produzir óleo comestível e combustível. Cnidoscolus phyllancatus é o seu nome científico.

Temos no Brasil meio milhão de quilômetros quadrados com a FAVELA, principalmente na "área abandonada das secas".
Por exemplo: oliveira gera azeite e produz 14% de óleo, ainda dá trabalho, grana e conforto para alguns países. A FAVELA produz 68,8% de óleo. Nos seus restos ainda se pode encontrar muitas vitaminas formadoras de 77% de proteínas, a maior fonte já conhecida no mundo. Milagrosa: Ela sozinha poderia dá alimento, inteligência, saúde, trabalho e produção ao país inteiro!
Por outro lado o FAVELADO ou FLAGELADO, ao invés da vergonha, deveria pensar muito mais sobre o seu verdadeiro valor de cidadão, habitante vivo, valor de gente que faz história .
fONTE: http://ubirajarando.blogspot.com e Ivan Maurício dos Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário